REVENDO A HEGEMONIA DA TV BRASILEIRA

O STREAMING DE VÍDEO COMO FORÇA DISRUPTIVA NA INDÚSTRIA TELEVISIVA NACIONAL

Autores

DOI:

https://doi.org/10.53450/2179-1465.RG.2023v14i2p04-29

Palavras-chave:

Streaming de vídeo, Televisão Brasileira, Proximidade Cultural

Resumo

Este artigo analisa o impacto do streaming de vídeo nas culturas de vídeo brasileiras. Considera-se que o domínio da TV Globo e da telenovela na televisão brasileira, aliado à limitada penetração da TV paga, geram insatisfação e alimentaram o potencial disruptivo do streaming. Com a popularização dos serviços de streaming de vídeo, evidencia-se a multiplicação das culturas de vídeo e o incremento do acesso aos conteúdos audiovisuais transnacionais, revelando limitações do paradigma da proximidade cultural. Argumenta-se que o streaming de vídeo emergiu como uma força competitiva que levou o Grupo Globo a diversificar seus produtos, contudo, embora sua hegemonia tenha sido impactada, o conglomerado demonstrou capacidade de adaptação à era digital.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Melina Meimaridis, Universidade Federal Fluminense

Melina Meimaridis é pós-doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal Fluminense. É doutora e mestre em Comunicação e bacharel em Estudos de Mídia pela mesma instituição. Seu trabalho analisa a ficcionalização das instituições sociais na ficção televisiva. Os interesses dela também incluem indústrias da mídia, Comfort Series e TV distribuída pela Internet em mercados nacionais e regionais. Atualmente, ela desenvolve dois projetos de pesquisa: 1) o estudo de como a ficção televisiva seriada constrói entendimentos sobre instituições sociais e como essas construções circulam nos fluxos televisivos transnacionais; 2) o estudo da expansão transnacional da Netflix e seu impacto em países pertencentes à periferia global.

Referências

BACCEGA, Maria Aparecida. Narrativa ficcional de televisão: encontro com os temas sociais. Comunicação & Educação, n. 26, p. 7-16, 2003.

BECKER, Valdecir; GAMBARO, Daniel; SOUZA FILHO, Guido Lemos. O impacto das mídias digitais na televisão brasileira: queda da audiência e aumento do faturamento. Palabra Clave, v. 18, n. 2, p. 341-373, 2015.

CARRANÇA, Thais. Como futebol por streaming virou obstáculo para idosos: 'Não sei como ver'. Uol, 12 de julho de 2022. Disponível em: https://www.uol.com.br/esporte/ultimas-noticias/bbc/2022/07/12/como-futebol-por-streaming-virou-obstaculo-para-idosos-nao-sei-como-ver.htm Acesso em 31 de maio de 2023.

CARTER, Eli. Entering through the Porta dos Fundos: The changing landscape of Brazilian television fiction. Television & New Media, v. 18, n. 5, p. 410-426, 2017.

CASTELLANO, Mayka; PINHO, João Pedro; NORONHA, Iara. " Netflix, eu te amo!": o capital emocional no relacionamento entre a empresa de streaming e os consumidores-fãs. Revista Fronteiras, v. 20, n. 3, 2018.

CASTELLANO, Mayka; MEIMARIDIS, Melina. A “televisão do futuro”? Netflix, qualidade e neofilia no debate sobre TV. MATRIZes, v. 15, n. 1, p. 195-222, 2021.

CAPARELLI, Sergio. Televisão e capitalismo no Brasil. Porto Alegre: L&PM, 1982.

DE MARCHI, Leonardo; LADEIRA, João Martins. Originais Netflix: Um panorama da produção audiovisual da Netflix no Brasil 2016-2019. Revista FAMECOS, v. 30, n. 1, p. 1-13, 2023.

DE SOLA POOL, Ithiel. The changing flow of television. Journal of Communication, v. 27, n. 2, p. 139-149, 1977.

FACINA, Adriana. “A Escada da Memória”: Arte e sobrevivência no Complexo do Alemão. ILUMINURAS, v. 21, n. 54, p.428-446, 2020.

FERREIRA, Gabrielle C. A descoberta da Turquia pelos latino-americanos: a recepção da ficção televisiva turca no Brasil e no Uruguai. Dissertação (Mestrado em Comunicação), Programa de Pós-Graduação em Comunicação, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2021.

FINGER, Cristiane; CANATTA, Fábio. Uma nova forma de ver TV no sofá ou em qualquer lugar. Revista Famecos, v. 19, n. 2, p. 373-389, 2012.

FREIRE FILHO, João. Notas históricas sobre o conceito de qualidade na crítica televisual brasileira. Galáxia. Revista do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Semiótica, n. 7, p. 85-110, 2004.

GRECO, Clarice; LIMA, Mariana M; PEREIRA, Tissiana N. As narrativas bíblicas da Record TV e a consolidação do público evangélico. XIV La Asociación Latinoamericana de Investigadores de la Comunicación, Universidad de Costa Rica, 30 de julho até 01 agosto. San Pedro: Centro de Investigación en Comunicación, 2018, p. 23-28.

GRECO, Clarice; SOUZA, Gustavo; PEREIRA, Simone Luci. Consumo midiático, localismos e cosmopolitismos: a série brasileira Coisa mais linda. Lumina, v. 14, n. 1, p. 156-173, 2020.

GRINDSTAFF, Laura; TUROW, Joseph. Video cultures: Television sociology in the “new TV” age. Annual Review of Sociology., v. 32, p. 103-125, 2006.

HAMBURGER, Esther. O Brasil antenado: a sociedade da novela. Rio de Janeiro: Zahar, 2005.

IWABUCHI, Koichi. Recentering globalization: Popular culture and Japanese transnationalism. Duke University Press, 2002.

JOYCE, Samantha Nogueira. Brazilian telenovelas and the myth of racial democracy. Lexington Books, 2012.

LA PASTINA, Antonio Carmino. The telenovela way of knowledge: an ethnographic reception study among rural viewers in Brazil. Tese de doutorado. The University of Texas at Austin, 1999.

LA PASTINA, Antonio C.; STRAUBHAAR, Joseph D. Multiple proximities between television genres and audiences: The schism between telenovelas’ global distribution and local consumption. Gazette (Leiden, Netherlands), v. 67, n. 3, p. 271-288, 2005.

LIMA, Heverton Souza. A Lei da TV Paga: impactos no mercado audiovisual. Dissertação (Mestrado em Meios e Processos Audiovisuais), Programa de Pós-Graduação em Meios e Processos Audiovisuais, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015.

LOPES, Maria Immacolata Vassallo. Telenovela brasileira: uma narrativa sobre a nação. Comunicação & Educação, n. 26, p. 17-34, 2003.

LOPES, Maria Immacolata Vassallo. Telenovela como recurso comunicativo. MATRIZes, v. 3, n. 1, p. 21-47, 2009.

LOPEZ, Ana M. Our welcomed guests: Telenovelas in Latin America. In: To be continued...: Soap operas around the world. ALLEN Robert C. (Ed.). London: Routledge, 2002, pp. 256-275.

LOTZ, Amanda D. The Television will be Revolutionized. New York: New York University Press, 2007.

LOTZ, Amanda D.; EKLUND, Oliver; SOROKA, Stuart. Netflix, library analysis, and globalization: rethinking mass media flows. Journal of Communication, v. 72, n. 4, p. 511-521, 2022.

LOTZ, Amanda D.; LOBATO, Ramon (Ed.). Streaming Video: Storytelling Across Borders. Nova Iorque: NYU Press, 2023.

LUNARDI, Gabriela M. “The “Brazilian-Ness” of Brazilian Youtube: New Voices, New Platforms, New Television? Tese (Doutorado em Comunicação), Queensland University of Technology, 2022.

MARTÍN-BARBERO, Jesús. De los medios a las mediaciones. Comunicación, cultura y hegemonía. México: Gustavo Gilli, 1987.

MATTELART, Michèle; MATTELART Armand. O Carnaval das Imagens: a ficção na televisão. São Paulo: Brasiliense, 1989.

MATTOS, Sérgio. História da televisão brasileira: uma visão econômica, social e política. Petrópolis: Editora Vozes, 2002.

MAZUR, Daniela. A Coreia do Sul e a Hallyu: uma globalização alternativa no mundo multipolar. Tese (Doutorado em Comunicação), Programa de Pós-Graduação em Comunicação, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2023.

MCCABE, Janet; AKASS, Kim. Quality TV: Contemporary American television and beyond. London: I.B. Tauris, 2007.

MEIMARIDIS, Melina. Disrupting Brazilian television: Streaming and the Decline of Globo’s Hegemony in Video Cultures. International Journal of Cultural Studies, online first, p. 1-19, 2023. Doi: https://doi.org/10.1177/13678779231197699

MEIMARIDIS, Melina; MAZUR, Daniela; RIOS, Daniel. The Streaming Wars in the Global Periphery: A Glimpse from Brazil. Series: International Journal of TV Serial Narratives, v. 6, p. 65-76, 2020.

MENDES MOREIRA DE SA, Vanessa. Internet Piracy as a hobby: what happens when the Brazilian Jeitinho meets television downloading?. Global Media Journal-Australian Edition, v. 5, n. 1, s/p, 2011.

MIZUKAMI, Pedro N. et al. (2011) Brazil. In Media piracy in emerging economies. KARAGANIS, Joe (Ed.). Social Science Research Council: Nova Iorque, 2011, pp. 219–304.

MUNGIOLI, Maria Cristina Palma; DE MESQUITA IKEDA, Flavia Suzue. Um Estudo do catálogo das séries originais Globoplay no período de 2018 a 2022. Revista Latinoamericana de Ciencias de la Comunicación, v. 21, n. 41, p. 112-123, 2022.

NANTES, Joana d‘Arc de. Ver e rever: um estudo sobre a reassistibilidade de telenovelas mexicanas no Brasil. Dissertação (Mestrado em comunicação), Programa de Pós-Graduação em Comunicação, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2018.

PORTO, Mauro. Telenovelas and representations of national identity in Brazil. Media, Culture, & Society, v. 33, n. 1, p. 53–69, 2011.

PORTO, Mauro. Media power and democratization in Brazil: TV Globo and the dilemmas of political accountability. New York: Routledge, 2012.

REIS, Raul. What prevents cable TV from taking off in Brazil?. Journal of Broadcasting & Electronic Media, v. 43, n. 3, p. 399-415, 1999.

RIBEIRO, Ana Paula G.; SACRAMENTO, Igor. (2010). A renovação estética da TV. In: História da televisão no Brasil: Do início aos dias de hoje. RIBEIRO, Ana Paula G.; SACRAMENTO, Igor; ROXO, Marco (Eds.). São Paulo: Editora Contexto, pp. 109-136.

RIOS, Daniel. Televisão e plataformas: um estudo de caso sobre dataficação nos serviços SVoD Netflix e Amazon Prime Video. Revista Fronteiras, v. 23, n. 1, p. 68-79, 2021.

SACRAMENTO, Igor. Nos tempos de Dias Gomes: a trajetória de um intelectual comunista nas tramas comunicacionais. Tese de doutorado, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2012.

SOUSA, Helena. (1997) Crossing the Atlantic: Globo’s Wager in Portugal. In Political Economy Section of the Scientific Conference of the International Association for Mass Communication Research (IAMCR), 2-7 Julho de 1997, Oaxaca, Mexico.

SOUZA, Marcos Alves. Gênero e raça: a nação construída pelo futebol brasileiro. Cadernos pagu, n. 6/7, p. 109-152, 1996.

STRAUBHAAR, Joseph D. Brazilian television: The decline of American influence. Communication Research, v. 11, n. 2, p. 221-240, 1984.

STRAUBHAAR, Joseph D. Beyond media imperialism: Assymetrical interdependence and cultural proximity. Critical Studies in media communication, v. 8, n. 1, p. 39-59, 1991.

STRAUBHAAR, Joseph et al. Distinction and Cosmopolitanism: Latin American Middle-Class, Elite Audiences and Their Preferences for Transnational Television and Film. International Journal of Communication, v. 17, p. 365-387, 2023.

SVARTMAN, Rosane. Brazilian Telenovelas and Multi-platform Audiences: Overviews and Industry Insights. In: RÍOS Diana; LIN Carolyn (Eds.). Television Dramas and the Global Village: Storytelling Through Race and Gender. Lanham: Lexington books, 2021, pp. 127-140.

WOLTON, Dominique. Elogio do grande público: uma teoria crítica da televisão. São Paulo: Ática, 1996.

Downloads

Publicado

2023-10-19

Como Citar

MEIMARIDIS, M. REVENDO A HEGEMONIA DA TV BRASILEIRA: O STREAMING DE VÍDEO COMO FORÇA DISRUPTIVA NA INDÚSTRIA TELEVISIVA NACIONAL . Revista GEMInIS, [S. l.], v. 14, n. 2, p. 4–29, 2023. DOI: 10.53450/2179-1465.RG.2023v14i2p04-29. Disponível em: https://www.revistageminis.ufscar.br/index.php/geminis/article/view/786. Acesso em: 18 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos