CAMINHOS PARA A ACESSIBILIDADE EDUCACIONAL

AUDIODESCRIÇÃO DAS IMAGENS DO APLICATIVO IARA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.53450/2179-1465.RG.2021v12i3p100-123

Palavras-chave:

Tradução Audiovisual Acessível (TAVA), Audiodescrição, IaraApp

Resumo

O presente artigo objetiva apresentar, considerando a escassez de pesquisas e diretrizes acerca da audiodescrição (AD) para o público infantil, o processo de audiodescrição do IaraApp, um aplicativo para o ensino de Ciências voltado a crianças de oito a dez anos. Durante o projeto, foram enfrentados diferentes desafios, como a definição da ordem de descrição dos elementos e o tamanho dos roteiros de AD, tanto de imagens estáticas quanto de imagens dinâmicas. Ao final da pesquisa, concluiu-se que estratégias como a padronização das descrições, a escolha cautelosa do vocabulário e o emprego de comparações ajudaram na produção das ADs.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Manoela Cristina da Silva, Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Doutora em Educação e mestre em Letras e Linguística, ambos pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). É professora adjunta do Instituto de Letras da UFBA e coordenadora do grupo Tradução e Acessibilidade (TrAce) do Instituto de Letras da UFBA.

Manoela Nunes de Jesus, Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Graduanda em Letras Vernáculas com uma Língua Estrangeira Moderna (Inglês) pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Integra, como pesquisadora voluntária, o grupo de pesquisa Tradução e Acessibilidade (TrAce) do Instituto de Letras da UFBA.

Elaine Alves Soares, Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Graduanda em Letras Vernáculas com uma Língua Estrangeira Moderna (Inglês) pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Integra, como pesquisadora voluntária, o grupo de pesquisa Tradução e Acessibilidade (TrAce) do Instituto de Letras da UFBA.

Andressa da Silva Queiroz, Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Graduanda em Língua Estrangeira Moderna (Inglês) pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Professora de inglês. Integra, como pesquisadora voluntária, o grupo de pesquisa Tradução e Acessibilidade (TrAce) do Instituto de Letras da UFBA.

Referências

ACCESSIBLE ARTS. Audio Description for Visual Arts. Sydney: Accessible Arts, 2010.

AUDIO DESCRIPTION COALITION. Standards for Audio Description and Code of Professional Conduct for Describers based on the training and experience of audio describers and trainers from across the United States. 3. ed. EUA: ADC, 2009.

CARNEIRO, B. C. dos S. Recriando o roteiro de audiodescrição para a pessoa com deficiência intelectual. 2020. Tese (Doutorado) – Instituto de Letras, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2020. No prelo.

CARNEIRO, B. C. dos S. Repensando o roteiro de audiodescrição para o público com deficiência intelectual. 2015. 283 f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Instituto de Letras, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2015.

FELLOWES, J. Espectro autístico, legendas e áudio-descrição. Tradução de Tereza R. Gomes. Revista Brasileira de Tradução Visual, [s. l.], n. 13, 2012.

INDEPENDENT TELEVISION COMMISSION. ITC Guidance on Standards for Audio Description. Reino Unido: ITC, 2000.

LEÃO, B. A. Teatro acessível para crianças com deficiência visual: a audiodescrição de A Vaca Lelé. 2012. 125 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada) – Centro de Humanidades, Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, 2012.

NAVES, S. B.; MAUCH, C.; ALVES, S. F.; ARAÚJO, V. L. S. (org.). Guia Para Produções Audiovisuais Acessíveis. Brasília: Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura, 2016.

NEVES, J. Multi-sensory approaches to (audio) describing the visual arts. MonTi – Monografias de Traducción e Interpratación, n. 4, p. 277-293, 2012.

RAI, S.; GREENING, J.; PETRÉ, L. A comparative study of audio description guidelines prevalent in different countries. Londres: Media and Culture Department; Royal National Institute of Blind People, 2010.

RIBEIRO, E. N.; LIMA, F. J. de. Contribuições da áudio-descrição para a aprendizagem de educandos surdos. Revista Brasileira de Tradução Visual, [s. l.], n. 10, 2012.

SANTOS, F. R. da S. A avaliação da audiodescrição de desenhos animados: uma pesquisa exploratória. 2011. 122 f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Departamento de Letras, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, Pau dos Ferros, 2011.

SILVA, M. C. C. C. da. Com os olhos do coração: estudo acerca da audiodescrição de desenhos animados para o público infantil. 2009. 214 f. Dissertação (Mestrado em Letras e Linguística) – Instituto de Letras, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2009.

SILVA, M. C. C. C. da. Para além do visível: princípios para uma audiodescrição menos visocêntrica. 2019. 238 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2019.

SNYDER, J.; DÍAZ, J. C. Audio description: the visual made verbal. In: SNYDER, J.; DÍAZ, J. C. (ed.). The didactics of audiovisual translation. Amsterdã: John Benjamins Publishing Company, 2008. p. 191-198.

SNYDER, J. (ed.). Audio Description Guidelines and Best Practices. EUA: American Council of the Blind, 2010.

SOARES, E. A.; SILVA, M. C. C. C. da. Novos Horizontes em Tradução Audiovisual: audiodescrição de imagens estáticas no aplicativo IaraApp. 2021. No prelo.

Downloads

Publicado

2022-02-16

Como Citar

DA SILVA, M. C.; DE JESUS, M. N.; SOARES, E. A.; QUEIROZ, A. da S. CAMINHOS PARA A ACESSIBILIDADE EDUCACIONAL: AUDIODESCRIÇÃO DAS IMAGENS DO APLICATIVO IARA. Revista GEMInIS, [S. l.], v. 12, n. 3, p. 100–123, 2022. DOI: 10.53450/2179-1465.RG.2021v12i3p100-123. Disponível em: https://www.revistageminis.ufscar.br/index.php/geminis/article/view/665. Acesso em: 3 out. 2023.

Edição

Seção

Dossiê - Acessibilidade Audiovisual: práticas de tradução e linguagem