CRONOTOPO DA RECEPÇÃO

UMA CATEGORIA ANALÍTICA PARA O ESTUDO DE RECEPÇÃO DA SÉRIE GAME OF THRONES

Autores

DOI:

https://doi.org/10.53450/2179-1465.RG.2022v13i1p203-224

Palavras-chave:

Cronotopo da recepção, Ficção televisiva, Sociologia disposicionalista e contextualista

Resumo

O artigo explora o uso do conceito de cronotopo em pesquisas de recepção. Para isso, é apresentada a proposição de cronotopo da recepção a partir de Mikhail Bakhtin articulada à teoria do ator disposicional e contextual de Bernard Lahire na análise de uma entrevista em profundidade semiestruturada sobre a recepção da série Game of Thrones. Os resultados assinalam ao cronotopo da recepção como uma categoria analítica que favorece a sistematização do estudo das mediações que agem no processo de recepção a partir de uma lógica espaço-temporal. Estas reflexões são um recorte das pesquisas desenvolvidas pela autora para a tese de doutorado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lizbeth Kanyat, USP

Possui graduação em Publicidade e Propaganda e especialização em Docência Universitária pelo Centro Universitário Adventista de São Paulo - UNASP (2009 e 2011). É mestre em Comunicação e Práticas de Consumo pela Escola Superior de Propaganda e Marketing - ESPM (2014), com estágio de pesquisa no Centro Internacional de Estudios Superiores de Comunicación para América Latina (CIESPAL), em Quito - Equador. Atualmente é doutoranda em Comunicação na ECA-USP e pesquisadora do Grupo de Pesquisa Linguagens e Discursos nos Meios de Comunicação (GELiDis). Também atua como professora dos cursos de Publicidade, Jornalismo e Rádio e Televisão no UNASP. Principais interesses de estudo: comunicação-consumo, processos de recepção e atribuição de sentidos, ficção televisiva.

Referências

ALVIM, Mariana. Solidão no luto: pesquisa inédita mostra dificuldades dos brasileiros para lidar com a morte. BBC News. Disponível em https://www.bbc.com/portuguese/brasil-45596113. Acesso em: 30 abr. 2021. Acesso em: 30 abr. 2021

BAKHTIN, Mikhail. Estética da Criação Verbal. São Paulo: Martins Fontes, 2018b.

_________________. Teoria do Romance II: as formas do tempo e do cronotopo. São Paulo: Editora 34, 2018a.

BERNIERI, Jamine; HIRDES, Alice. O preparo dos acadêmicos de enfermagem brasileiros para vivenciarem o processo morte-morrer. Texto & Contexto - Enfermagem. v.16 n.1. Florianópolis. jan./mar. 2007. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0104-07072007000100011. Acesso em: 30 abr. 2021.

CAILLOIS, Roger. Os jogos e os homens: a máscara e a vertigem. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 2017.

COELHO, Tatiana. Brasileiro não gosta de falar sobre morte e não se prepara para o momento, revela pesquisa. G1. set. 2018. Disponível em: https://g1.globo.com/bemestar/noticia/2018/09/26/brasileiro-nao-gosta-de-falar-sobre-morte-e-nao-se-prepara-para-o-momento-revela-pesquisa.ghtml. Acesso em: 30 abr. 2021.

DANZIGER, Marlies K. e JOHNSON, W. Stacy. 1974. Introdução ao estudo crítico da literatura. Trad. Álvaro Cabral. São Paulo: Cultrix.

DURKIN, Keith F. Death, dying, and the dead in popular culture. In.: CLIFTON D. Bryant. Handbook of Death and Dying. vol. 2, set. Thousand Oaks: Sage Publications, 2003.

FÍGARO, ROSELI; Grohmann, Rafael. A recepção serve para pensar: um "lugar" de embates. Palabra Clave, v. 20, p. 142-161, 2017.
ISER, Wolfgang. The Act of Reading: A Theory of Aesthetic Response. Baltimore: John Hopkins University Press, 1978.

JAUSS, Hans Robert. Toward an Aesthetic of Reception. Minneapolis: University of Minnesota Press, 1982.

KOVÁCS, Maria Julia. Desenvolvimento da Tanatologia: estudos sobre a morte e o morrer. Paidéia, 18(41), p. 457-468, 2008.

KOVÁCS, Maria Julia. Educação para morte. Psicologia Ciência e Profissão, v. 25, p. 484-497, 2005. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1414-98932005000300012

LAHIRE, Bernard. Indivíduo e misturas de géneros: dissonâncias culturais e distinção de si. Sociologia, Problemas e Práticas, n. 56, 2008

LAHIRE, Bernard. Retratos sociológicos: disposições e variações individuais. Porto Alegre: Artmed, 2004.

LOPES, M. I. V. Mediação e recepção: Algumas conexões teóricas e metodológicas nos estudos latino-americanos de comunicação. MATRIZes, vol. 8, n. 1, p. 65-80, 2014.

LUKÁCS, Georg. Narrar ou Descrever? In. Ensaios sobre Literatura. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1965. p.43-94.

MARTIN-BARBERO, Jesús. Dos meios às mediações: comunicação, cultura e hegemonia. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2009.

MITTEL, Jason. Complexidade narrativa na televisão americana contemporânea. Revista Matrizes. Ano 5 – nº 2 jan./jun. 2012 - São Paulo - Brasil. (p. 29-52). Disponível em: http://www.matrizes.usp.br/index.php/matrizes/article/view/337/pdf. Acesso em: 12 mar. 2019.

MITTEL, Jason. Forensic Fandom And The Drillable Text [s.l.]: Spreadable Media, 2009.

MOTTER, Maria Lourdes. Mecanismos de renovação do gênero telenovela: emprestimos e doações. In. LOPES, M. I. V. (Org.). Telenovela: internacionalização e Interculturalidade. São Paulo: Edições Loyola, 2004.

MUNGIOLI, M. C. P.; LEMOS, L.M.P; KARHAWI, I. Narrativa fantástica e identidade brasileira na minissérie A cura. Rumores (USP), v. 7, p. 218-238, 2013. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/Rumores/article/view/69440/72020. Acesso em: 30 abr 2021.

PAULO KLIMATIS: depoimento [jan. 2020]. Entrevistador: Lizbeth Carolina Kanyat Ojeda de Novaes. São Paulo: Shopping Buriti, 2020. Áudio digital. Entrevista concedida para a tese de doutorado da entrevistadora.

PIRES, Álvaro P. Amostragem e pesquisa qualitativa: ensaio teórico e metodológico. In: POUPART, Jean et al. A pesquisa qualitativa: Enfoques epistemológicos e metodológicos. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

SANDVOSS, Cornel. Reception. In. The Handbook of Media Audiences. Nightingale, Virginia. Oxford: Wiley-Blackwell, 2011. p. 230-250.

SANTOS, Adilson dos. A tragédia grega: um estudo teórico. Investigações (UFPE), v. 18, p. 41-67, 2005.

TRINDADE, E.; BARBOSA. I.S. 2007. Os tempos da enunciação e dos enunciados publicitários e a questão do cronotopo publicitário. Revista Comunicação Mídia e Consumo, 4(10), p. 125-140.

Downloads

Publicado

2022-04-29

Como Citar

KANYAT, L. CRONOTOPO DA RECEPÇÃO: UMA CATEGORIA ANALÍTICA PARA O ESTUDO DE RECEPÇÃO DA SÉRIE GAME OF THRONES. Revista GEMInIS, [S. l.], v. 13, n. 1, p. 203–224, 2022. DOI: 10.53450/2179-1465.RG.2022v13i1p203-224. Disponível em: https://www.revistageminis.ufscar.br/index.php/geminis/article/view/643. Acesso em: 29 maio. 2022.