CONTRIBUIÇÕES PARA UM PENSAMENTO SOBRE O ROTEIRO CINEMATOGRÁFICO A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DE REALIZAÇÃO DO FILME MEIO IRMÃO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.53450/2179-1465.RG.2021v12i2p227-240

Palavras-chave:

Processo Criativo, Autoria, Dramaturgia Audiovisual

Resumo

Meio Irmão é um filme de longa-metragem criado a partir de uma ideia original e permeado por fatores externos que impactaram sua realização: políticas públicas, atividade docente, mudança tecnológica e mercadológica e eventos sociais recentes ocorridos no Brasil. O artigo se debruça sobre esses fatores nos seguintes tópicos: “Meio Irmão e o Brasil contemporâneo” trata dos vínculos de acontecimentos sociais e o roteiro, “Meio Irmão e questões de dramaturgia” investiga alguns problemas clássicos da dramaturgia cinematográfica, e “Meio Irmão e as políticas públicas” aborda a importância dos sistemas de incentivo à realização do filme.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eliane Coster, UFSCar

Professora doutora do Curso Superior de Imagem e Som do Departamento de Artes e Comunicações da Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). Escreveu e dirigiu os filmes de curta metragem Instruções para dar corda no relógio (1994), Correspondência (1996), São Paulo além das horas (2009), Preciosa (2009), Retrovisor (2010), A boca do mundo - Exu no Candomblé (2010), Super Oldboy (2016), e o filme de longa metragem Meio Irmão (2020), vencedor dos prêmios de Público e prêmio de Juri da Abracine na 42a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.

Referências

CÂNDIDO, Antônio. A personagem do Romance. In A Personagem de Ficção. São Paulo: Editora Perspectiva, 1987. p. 51-80.
CARRIÈRE, Jean-Claude. Prática do roteiro cinematográfico. São Paulo: JSN Editora, 1996
GOMES. Paulo Emílio Salles. A personagem cinematográfica. In A Personagem de Ficção. São Paulo: Editora Perspectiva, 1987. p. 103-119.
MAMET, David. Três usos da Faca. Sobre a natureza e a finalidade do drama. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.
MCKEE, Robert. Story: substância, estrutura, estilo e os princípios da escrita de roteiro. Curitiba: Arte e Letra Editora, 2006.
MICHEL, Rodrigo Cavalcante; AVELLAR, Ana Paula. A indústria cinematográfica brasileira: uma análise da dinâmica da produção e da concentração industrial. Revista de Economia, Paraná, v. 38, n. 1, p. 35-53, jan./abr. 2012. Disponível em: file:///C:/Users/Lili/Downloads/28285-103732-1-PB%20(1).pdf. Acesso em 17 março 2021.
PIRES, Thiago Vieira. Jessé Souza e as interpretações do golpe de 2016. In: FOLLMAN, José Ivo (org.). Dialogando com Jessé Souza. São Leopoldo: Casa Leiria, 2017. p. 179-194. Disponível em: https://olma.org.br/wp-content/uploads/2018/10/dialogando.pdf. Acesso em 17 março 2021.
SANTOS, Sérgio Ribeiro de Aguiar. Políticas públicas de cinema: o impacto do fundo setorial do audiovisual na cadeia produtiva do cinema brasileiro Santos. 2017. Tese (Doutorado em Comunicação) - Universidade de Brasília, Brasília, 2017. Disponível em: https://repositorio.unb.br/bitstream/10482/23553/1/2017_S%C3%A9rgioRibeirodeAguiarSantos.pdf. Acesso em 17 março 2021.

Downloads

Publicado

2021-11-04

Como Citar

COSTER, E. CONTRIBUIÇÕES PARA UM PENSAMENTO SOBRE O ROTEIRO CINEMATOGRÁFICO A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DE REALIZAÇÃO DO FILME MEIO IRMÃO. Revista GEMInIS, [S. l.], v. 12, n. 2, p. 227–240, 2021. DOI: 10.53450/2179-1465.RG.2021v12i2p227-240. Disponível em: https://www.revistageminis.ufscar.br/index.php/geminis/article/view/627. Acesso em: 29 maio. 2022.

Edição

Seção

Dossiê - Desafios, tendências e pesquisas. Roteiros Audiovisuais