REDESCOBRINDO O ROTEIRO CINEMATOGRÁFICO NÃO-FILMADO DE A HORA DOS RUMINANTES

Autores

DOI:

https://doi.org/10.53450/2179-1465.RG.2021v12i2p54-79

Palavras-chave:

A hora dos ruminantes, Luiz Sergio Person, Jean-Claude Bernardet

Resumo

Este artigo apresenta o roteiro cinematográfico inédito e não-filmado de A hora dos ruminantes, escrito em 1967 pelo cineasta Luiz Sergio Person e pelo crítico e roteirista Jean-Claude Bernardet, baseado na obra literária homônima de José J. Veiga. Apresentamos algumas questões teóricas referentes ao texto de roteiro cinematográfico, como os aspectos político-ideológicos e mercadológicos subjacentes aos roteiros, além da discussão sobre a importância dos textos de roteiro cinematográfico e seu eventual caráter literário. Em seguida, transpomos essas questões relativas ao roteiro para o Brasil dos anos 1960, analisando como a parceria dos roteiristas Person e Bernardet trata essas problemáticas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcelo Cordeiro de Mello, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutor em Estudos Literários pela Universidade Federal de Minas Gerais (2019). Mestre em Literatura Portuguesa pela Universidade Paris IV, Sorbonne (2011). Graduado pela Universidade de Brasília: Bacharel em Letras Português (2007) e Licenciado em Francês (2013).

Referências

Autor Desconhecido. Em comemoração ao centenário de José J. Veiga, Opção Cultural traz entrevista feita em 1995. Jornal Opção, Goiânia, 2 de fevereiro de 2015.
BERGMAN, Ingmar. Scenes from a marriage. Pantheon Books, 1974.
BERNARDET, Jean-Claude. Divisão do trabalho. O que é Cinema. Coleção Primeiros Passos. São Paulo: Brasiliense, Primeira edição de 1980, p. 33.
BERNARDET, Jean-Claude & PERSON, Luiz Sérgio. O caso dos irmãos Naves (Chifre em cabeça de cavalo). Argumento e Roteiro. São Paulo: Imprensa Oficial, Coleção Aplauso. Fundação Padre Anchieta, 2004.
BOILLAT, Alain & PHILIPPE, Gilles. L'Adaptation. Des livres aux scénarios, Impressions nouvelles, 2018.
BRANDÃO, Luis Alberto. Literatura e teatro: interfaces. in Gragoatá, n. 4, Niterói: Universidade Federal Fluminense, 1998, p. 219-226.
CHALVON DEMERSAY, Sabine. A Thousand Screenplays. The University of Chicago Press, 1999.
COSTA, Antonio Costa, Compreender o cinema, São Paulo: Editora Globo, 2003.
DAHL, Gustavo. Uma arte em busca da verdade: evolução e problemas do argumento cinematográfico. Revista Civilização Brasileira, n. 3, Rio de Janeiro, julho de 1965, p. 171-181.
DECOTE, Georges & VIEGNES, Michel. Le théâtre. Problematiques essentielles. Série Profil: Histoire Littéraire. Hatier, 2001.
FIELD, Syd. Screenplay: The Foundations of Screenwriting, Delta, 2005.
GOMES, Paulo Emílio Salles. Uma situação colonial?, Companhia das Letras, São Paulo, 2016. Artigo-título publicado originalmente no Jornal da Tarde, São Paulo, 14 de abril de 1973, sob o título ‘Uma paródia e uma novela de tevê: dois filmes brasileiros’.
GRUAULT, Jean. François Truffaut, Jules et Jim. Seuil, 1971.
HEFFNER, Hernani. Contribuição a uma história do roteiro in GARCIA, Estevão (org.), Leopoldo Serran. Escrevendo imagens. Rio de Janeiro: Caixa Cultural, 2012.
HUTCHEON, Linda. Uma teoria da adaptação. Santa Catarina: Editora UFSC, 2011.
ISER, Wolfgang. A indeterminação e a resposta do leitor na prosa de ficção. Cadernos do Centro de Pesquisas Literárias da PUCRS. Série Traduções. Porto Alegre, v. 3, no 2, março de 1999.
MAGALHÃES, Rodolfo. Minidocumentário da série Ofício da Palavra, 2017.
MONZANI, Josette Maria Alves de Souza. Gênese de Deus e o Diabo na Terra do Sol. São Paulo: Editora AnnaBlume & FAPESP. Fundação Gregório de Mattos, UFBA, Salvador, 2005.
MURRAY, Simone. The Adaptation Industry. The Cultural Economy of Contemporary Literary Adaptation, Rouledge, New York, 2012.
NANNICELLI, Ted. A Philosophy of the Screenplay. Routledge Studies in Contemporary Philosophy. Routledge, 2012.
PAVIS, Patrice. Dictionary of the Theatre: Terms, Concepts, and Analysis. Toronto e Buffalo: University of Toronto, 1998.
STAM, Robert. Literature and Film: A Guide to the Theory and Practice of Film Adaptation, 2005.
STAM, Robert. Teoria e prática da adaptação: da fidelidade à intertextualidade. Ilha do Desterro, n. 51, Florianópolis, 2006.
VEIGA, José J. A hora dos ruminantes, Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1966.

Downloads

Publicado

2021-11-04

Como Citar

CORDEIRO DE MELLO, M. REDESCOBRINDO O ROTEIRO CINEMATOGRÁFICO NÃO-FILMADO DE A HORA DOS RUMINANTES. Revista GEMInIS, [S. l.], v. 12, n. 2, p. 54–79, 2021. DOI: 10.53450/2179-1465.RG.2021v12i2p54-79. Disponível em: https://www.revistageminis.ufscar.br/index.php/geminis/article/view/604. Acesso em: 29 maio. 2022.

Edição

Seção

Dossiê - Desafios, tendências e pesquisas. Roteiros Audiovisuais