O QUE OS OLHOS NÃO VEEM:

CONSTRUÇÃO DE MEMÓRIAS AUTOBIOGRÁFICAS NO FACEBOOK

Autores

  • Deborah Rodríguez Santos Universidade Federal Fluminense

DOI:

https://doi.org/10.53450/2179-1465.RG.2021v12i2p327-344

Palavras-chave:

memória autobiográfica, Facebook, rupturas performáticas

Resumo

O artigo busca refletir, a partir de uma abordagem teórico-empírica, sobre as formas através das quais a memória autobiográfica se torna customizável no site de rede social Facebook, considerando dois tipos de agentes: os dispositivos que permitem a circulação e reciclagem dos relatos de si, por um lado, e a edição que cada usuário narrador imprime, a posteriori, ao seu acervo autobiográfico na plataforma. Com base nisto, é acionada a ideia de rupturas performáticas proposta por Polivanov e Carreira (2019) de modo a problematizar a complexa relação entre a tríade narrativas de si, tempo e memória autobiográfica no Facebook.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Deborah Rodríguez Santos, Universidade Federal Fluminense

Doutora em Comunicação pela Universidade Federal Fluminense. Mestre em Comunicação pela Universidade Federal Fluminense. Possui graduação em Comunicação Social - Universidad de La Habana (2013). Tem experiência na área de Comunicação, com ênfase em Teoria da Comunicação, Estéticas e Tecnologias da Comunicação e Estudos Migratórios.

Referências

ARFUCH, Leonor. O espaço biográfico. Dilemas da subjetividade contemporânea. Rio de Janeiro: EDUERJ, 2010.

BERTO, Sr. Matheus; GONÇALVES, Elizabeth. Diálogos online: intersemioses do gênero Facebook. C-Legenda-Revista do Programa de Pós-graduação em Cinema e Audiovisual, n. 25, 2011.

BOURDIEU, Pierre. A ilusão biográfica. In: AMADO, J.; FERREIRA, M. Usos e abusos da história oral. Rio de Janeiro, 2006.

BOYD, Danah M.; ELLISON, Nicole B. Social network sites: Definition, history, and scholarship. Journal of computer‐mediated Communication, v. 13, n. 1, p. 210-230, 2007.

BRUNO, Fernanda. Rastros digitais sob a perspectiva da teoria ator-rede. Revista FAMECOS: mídia, cultura e tecnologia, v. 19, n. 3, p. 681-704, 2012.

DALMASO, Silvana. A construção da memória nos sites e redes sociais: percepções sobre experiências no Facebook. 10º Encontro Nacional de História da Mídia, 2015.

DE CERTEAU, Michel. A invenção do cotidiano. Artes de fazer. Rio de Janeiro: Vozes, 2017.

DE SOUZA CARNEIRO, Jéssica; GERMANO, Idilva Maria Pires. Memória e sites de redes sociais: Midiatização da imagem em recordações e narrativas autobiográficas. Revista de Psicologia, v. 8, n. 1, p. 109-120, 2017.

FERRAZ, Maria Cristina Franco. Tecnologias, memória e esquecimento: da modernidade à contemporaneidade. Revista FAMECOS: mídia, cultura e tecnologia, n. 27, p. 49-57, 2005.

GAUER, Gustavo; GOMES, William Barbosa. Recordação de eventos pessoais: Memória autobiográfica, consciência e julgamento. Psicologia: teoria e pesquisa. Brasília. Vol. 24, n. 4 (out./dez. 2008), p. 507-514., 2008.

HALBWACHS, Maurice. La memoria colectiva. Prensas de la Universidad de Zaragoza, 2004.

MATUCK, Artur; MEUCCI, Artur. A criação de identidades virtuais através das linguagens digitais. Comunicação Mídia e Consumo, v. 2, n. 4, p. 157-182, 2008.

MILLER, Daniel. Tales from Facebook. Polity, 2011.

PEREIRA, Marília. Éthos em rede. Dinâmicas, apropriações e implicações do éthos conectado no Facebook. Dissertação de mestrado do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Escola Superior de Propaganda e Marketing (PPGCOM-ESPM/SP), 2016.

POLIVANOV, Beatriz Brandão; CARRERA, Fernanda Ariane Silva. Rupturas performáticas em sites de redes sociais: um olhar sobre fissuras no processo de apresentação de si a partir de e para além de Goffman. Intexto, n. 44, p. 74-98, 2019.

POLIVANOV, Beatriz. Dinâmicas identitárias em sites de redes sociais: estudo com participantes de cenas de música eletrônica no Facebook. Multifoco, 2014.

POLIVANOV, BEATRIZ; SANTOS, DEBORAH. Collapsed temporalities on social media: Cuban expats in Brazil and Facebook. Networking Knowledge: Journal of the MeCCSA, 2020.

POLIVANOV, Beatriz Brandão; SANTOS, Deborah Rodríguez. “O mais importante é que a outra pessoa possa te perceber forte”: narrativas de superação em término de relacionamento enquanto performance de si no Facebook. Ação Midiática–Estudos em Comunicação, Sociedade e Cultura., v. 1, n. 10, p. 161-180, 2015.

RADSTONE, Susannah. 12 Autobiographical times. Feminism & Autobiography: Texts, Theories, Methods, p. 201, 2002.

RICOEUR, Paul. Tempo e Narrativa (I). Papirus, 1994.

SIBILIA, Paula. O Show do Eu. A intimidade como espetáculo. Contraponto, 2016.

TAYLOR, Jodie. The intimate insider: negotiating the ethics of friendship when doing insider research. Qualitative research, v. 11, n. 1, p. 3-22, 2011.

WANG, Qi; BROCKMEIER, Jens. Autobiographical remembering as cultural practice: Understanding the interplay between memory, self and culture. Culture & Psychology, v. 8, n. 1, p. 45-64, 2002.

Downloads

Publicado

2021-11-04

Como Citar

RODRÍGUEZ SANTOS, D. O QUE OS OLHOS NÃO VEEM:: CONSTRUÇÃO DE MEMÓRIAS AUTOBIOGRÁFICAS NO FACEBOOK. Revista GEMInIS, [S. l.], v. 12, n. 2, p. 327–344, 2021. DOI: 10.53450/2179-1465.RG.2021v12i2p327-344. Disponível em: https://www.revistageminis.ufscar.br/index.php/geminis/article/view/491. Acesso em: 29 maio. 2022.