MULHER MARAVILHA (2017) E CAPITÃ MARVEL (2019)

A REPRESENTAÇÃO DA PROTAGONISTA FEMININA NO UNIVERSO CINEMATOGRÁFICO DAS HQS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.53450/2179-1465.RG.2021v12i1p116-133

Palavras-chave:

Mulher Maravilha, Capitã Marvel, Representatividade

Resumo

Mulher Maravilha (2017) surge como um filme que retrata uma protagonista feminina em um universo marcadamente masculino. Com uma das maiores bilheterias do ano, se apresenta como um avanço do espaço ocupado pelas mulheres no meio cinematográfico. Em 2019, Capitã Marvel retoma essa conquista e avança na pauta sobre representatividade com maior liberdade criativa e mais profissionais femininas em sua produção. O objetivo desse artigo é analisar as questões relativas à representatividade e protagonismo feminino nessas obras que surgem como uma importante etapa em um processo de conquista de espaço para as mulheres nos filmes baseados em Histórias em Quadrinhos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Yuri Garcia, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ); Universidade Estácio de Sá (UNESA)

Doutor em Comunicação Social pelo Programa de Pós Graduação em Comunicação da Universidade do Estado do Rio de janeiro (UERJ). Mestre em Comunicação Social pelo Programa de Pós Graduação em Comunicação da Universidade do Estado do Rio de janeiro (UERJ). Possui pós-graduação em Docência do Ensino Superior pela Universidade Cândido Mendes (UCAM-IAVM) e graduação em Comunicação Social - Publicidade e Propaganda pelas Faculdades Integradas Hélio Alonso (FACHA). Coordenador do grupo de pesquisa "Transposições das Narrativas de Histórias em Quadrinhos no Cinema". Pesquisador de pós-doutorado pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Pesquisador bolsista do programa de Pesquisa e Produtividade da Universidade Estácio de Sá (UNESA). Também atua no grupo de pesquisa "Culturas Tecnológicas: medialidades, materialidades e temporalidades" coordenado pelo prof. Dr. Erick Felinto. Curador do Cineclube Silvia Oroz da Universidade Estácio de Sá, campus Tom Jobim. Autor do livro "Drácula: o vampiro camaleônico" (2014), realiza pesquisas sobre transposições cinematográficas de obras literárias, assim como de HQs e videogames. Atualmente é professor da Universidade Estácio de Sá (UNESA) nas graduações em Comunicação Social, Cinema, Produção Audiovisual, Publicidade e Jornalismo.

Ellen Alves Lima, Universidade Estácio de Sá (UNESA)

Graduanda no curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Estácio de Sá (UNESA) Campus Tom Jobim - Barra. Membro do grupo de pesquisa "Transposições Narrativas de Histórias em Quadrinhos para o Cinema? coordenado pelo prof. Dr. Yuri Garcia. Tem experiência na área de administração e gestão para produção audiovisual. Pesquisadora de iniciação científica do curso de Cinema da Universidade Estácio de Sá (UNESA). 

Referências

CAMPBELL, Joseph. O Herói de Mil Faces. São Paulo: Cultrix, 1989.
ECO, Umberto. Apocalípticos e Integrados. São Paulo: Perspectiva, 2006.
FRANCO, Gabriela. A Jornada da Heroína. In: MARINO, Dani; MACHADO. Laluña (orgs.). Mulheres & Quadrinhos. São José: Skript, 2019.
HOLLANDA, Heloísa Buarque de; PELLEGRINO, Antonia. Política Representativa. In: HOLLANDA, Heloísa Buarque de (org.). Explosão feminista: arte, cultura, política e universidade. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.
HOLLANDA, Heloísa Buarque de; SARMET, Érica; TEDESCO, Marina Cavalcanti. No Cinema. In: HOLLANDA, Heloísa Buarque de (org.). Explosão feminista: arte, cultura, política e universidade. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.
JUNG, Carl Gustav. Os arquétipos e o inconsciente coletivo. Rio de Janeiro: Vozes, 2018.
KANTOR, Jodi. Ela disse: Os bastidores da reportagem que impulsionou o #MeToo. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.
LEPORE, Jill. A História Secreta da Mulher Maravilha. Rio de Janeiro: Best Seller, 2017.
MACIEL, Luiz Carlos. O poder do clímax: fundamentos do roteiro de cinema e TV. São Paulo: Giostri, 2017.
MALONE, Alicia. Backwards & in heels. United States of America: Mango Publishing Group, 2018.
MURDOCK, Maureen. The heroine’s journey. Boston: Shambhala, 1990.
RIBEIRO, Djamila. O que é lugar de fala?. Belo horizonte: Letramento, 2017.
TIBURI, Marcia. Feminismo em comum: para Todas, Todes e Todos. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 2018.

Downloads

Publicado

2021-06-27

Como Citar

GARCIA, Y.; LIMA, E. A. MULHER MARAVILHA (2017) E CAPITÃ MARVEL (2019): A REPRESENTAÇÃO DA PROTAGONISTA FEMININA NO UNIVERSO CINEMATOGRÁFICO DAS HQS. Revista GEMInIS, [S. l.], v. 12, n. 1, p. 116–133, 2021. DOI: 10.53450/2179-1465.RG.2021v12i1p116-133. Disponível em: https://www.revistageminis.ufscar.br/index.php/geminis/article/view/588. Acesso em: 18 abr. 2024.

Edição

Seção

Dossiê - Desafios, tendências e pesquisas. Roteiros Audiovisuais