[1]
K. Scoralick, “Telenovela brasileira: fascínio, projeção e identificaçã”o, GEMInIS, vol. 1, nº 1, p. 68-81, 1.