As Possibilidades Criativas da Internet: o banco de dados e o fazer artístico contemporâneo

  • Marília Xavier de Lima UFJF
  • Pedro Nogueira e Conceição UFJF
Palavras-chave: Arte, Rede, Interatividade, Banco de dados

Resumo

Com a crescente alimentação dos bancos de dados e ainda uma tímida exploração de setores regulamentadores, a Web se coloca como um ambiente de livre exercício do fazer artístico contemporâneo, implicando, desse modo, em uma modificação do estatuto de espectador para criador. A partir disso, este trabalho objetiva identificar o novo papel do espectador diante das atuais tecnologias midiáticas, apresentando um caráter interativo diante de determinadas obras arte (como a web art e o transcinema). Neste sentido, veremos como a internet torna-se um espaço de sobras, restos ou retalhos de outras áreas da produção artística, bem como se mostra diverso e produtivo.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marília Xavier de Lima, UFJF
Graduada em Comunicação Social pela UFJF. Atualmente é mestranda do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Faculdade de Comunicação da UFJF, na linha Estética, Redes e Tecnocultura.
Pedro Nogueira e Conceição, UFJF
Graduado em Comunicação Social pela UFJF. Atualmente é mestrando do Programa de Pós-Graduação em Arte da Universidade Estadual do Rio de Janeiro, na linha de Processos Artísticos Contemporâneos.

Referências

BENJAMIN. Walter. Passagens. São Paulo/Belo Horizonte:Imprensa Oficial do Estado, Ed. UFMG, 2006.

BETTETINI, Gianfranco. Semiótica, computação, gráfica e textualidade. In: Imagemmáquina, André Parente, Rio de Janeiro: Editora 34, 1993. p. 65-71.

DELEUZE, Gilles. Cinema 1: Imagem-Movimento. São Paulo: Brasiliense, 1983.

DOCTORS. Márcio. Os Dois Fogos. In: Catálogo LUZ ZUL. Rio de Janeiro. Centro Cultural Telemar, 2006.

GREENAWAY. Peter Greenaway. O Cinema está morto. In: Caderno Sesc Video Brasil 03, 2007, p. 89-97.

MACIEL, Kátia (org.). Transcinemas. Rio de Janeiro: Contra Capa, 2009.

_______. Transcinemas: Um, nenhum e cem mil. Disponível em .

MANOVICH, Lev. The Language of New Media. Massachussets, MIT Press, 2001.

_____. Understanding Hybrid Media. Disponível Acessado em 08/04/2008.

_____. What is Digital Cinema? Disponível em . Acessado em 30/03/2009.

_____. Avant-garde as Software. Disponível em Acessado em 21/04/2009.

_____. Image Future. Disponível em Acessado em 18/04/2009.

PARENTE, André. Os paradoxos da imagem-máquina. In:_____.(Org.) Imagemmáquina. Rio de Janeiro: Editora 34, 1993. p. 7-35.

______. Cinema e Tecnologia digital. Lumina, Juiz de Fora, v.2, n.1, p. 1-17, jun. 1999.

SMIERS. Joost. Artes sob Pressão. São Paulo, Escrituras Editoras: Instituto Pensarte, 2006.

SHAW, Jeffrey. A Nova Arte Midiática e a Renovação do Imaginário Cinemático. In: Transincema, Katia Maciel, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro: Contra Capa, 2009, p. 193-198.

WEIBEL, Peter. Seminário Arte Algorítmico. De Cezane ao Computador. Disponível em <http://217.76.144.68/archivos/_20/html/mobligatorio/00015/html/weibel_frameset_session5.html> Acessado em 23/04/2010.

VERTOV. Dziga. Kino-Eye: the writings of Diziga Vertov. Los Angeles: University of California Press, 1984.

Como Citar
XAVIER DE LIMA, M.; NOGUEIRA E CONCEIÇÃO, P. As Possibilidades Criativas da Internet: o banco de dados e o fazer artístico contemporâneo. Revista GEMInIS, v. 2, n. 1, p. 262-270, 11.