A Empreitada Global da Netflix:

uma análise das estratégias da empresa em mercados periféricos

Palavras-chave: netflix, fluxos televisivos, séries

Resumo

Este artigo visa debater sobre a expansão da Netflix em mercados periféricos, tendo em vista que, nos últimos anos, a empresa estadunidense tem investido em produções locais. Considerando as mudanças nos fluxos globais de produtos televisivos, serão analisadas as estratégias utilizadas pelo serviço de streaming no México, Brasil e Coreia do Sul. Observa-se que esses territórios são importantes mercados regionais e, por isso, a empresa aplica diversas táticas: desde parcerias com emissoras locais e descontos na assinatura, até a produção de séries focadas em corrupção ou que acionam códigos de nostalgia. Nesse processo, a Netflix se mostra disposta a desafiar os conglomerados midiáticos locais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Melina Meimaridis, UFF
Doutoranda e Mestre em Comunicação no Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal Fluminense e graduada em Estudos de Mídia pela mesma Universidade. Pesquisadora associada ao TeleVisões (UFF) e ao projeto Série Clube (UFF).
Daniela Mazur, Universidade Federal Fluminense
Doutoranda e Mestre em Comunicação no Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal Fluminense e Bacharel em Estudos de Mídia pela mesma Universidade. Coordenadora do projeto Série Clube (UFF), dedicado ao estudo da ficção seriada televisiva. Pesquisadora associada ao MidiÁsia (UFF) e ao TeleVisões (UFF).
Daniel Rios, Universidade Federal Fluminense
Doutorando e Mestre em Comunicação no Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal Fluminense e Bacharel em Estudos de Mídia pela mesma Universidade. Pesquisador associado ao TeleVisões (UFF) e ao projeto Série Clube (UFF).

Referências

ALVARADO, Ana Bertha Uribe. “As telenovelas mexicanas no México afuera”. In: Telenovela: internacionalização e interculturalidade. LOPES, Maria Immacolata Vassalo (org.). São Paulo: Edições Loyola, 2004.

BALADRON, Mariela; RIVERO, Ezequiel. Video-on-demand services in Latin America: Trends and challenges towards access, concentration and regulation. Journal of Digital Media & Policy, v. 10, n. 1, p. 109-126, 2019.

BERG, Miriam. The Importance of Cultural Proximity in the Success of Turkish Dramas in Qatar. International Journal of Communication, 11, 3415-3430. 2017.

CASTELLANO, Mayka.; MEIMARIDIS, Melina. Netflix, discursos de distinção e os novos modelos de produção televisiva. Contemporanea-Revista de Comunicação e Cultura, Salvador, v. 14, n. 2, p. 193-209, 2016.

CASTELLANO, Mayka; MEIMARIDIS, Melina. Produção televisiva e instrumentalização da nostalgia: o caso Netflix. Revista GEMInIS, v. 8, n. 1, p. 60-86, 2017.

CHALABY, Jean K. (Ed.). Transnational television worldwide: Towards a new media order. Ib tauris, 2005.

CORNELIO-MARÍ, Elia Margarita. “Digital Delivery in Mexico A Global Newcomer Stirs the Local Giants”. In: The Age of Netflix: Critical Essays on Streaming Media, Digital Delivery and Instant Access. Cory Barker e Myc Wiatrowski (Ed). McFarland & Company: North Carolina, 2017, versão ebook kindle.

GOMES, Laura Graziela. Novas tendências e desafios metodológicos nos estudos de consumo midiático. Etnografia e consumo midiático: novas tendências e desafios metodológicos. Rio de Janeiro: E-papers, p. 69-95, 2016.

HALL, Stuart. The West and the Rest: Discourse and power. The indigenous experience: Global perspectives, p. 165-173, 1992.

HALLINAN, Blake.; STRIPHAS, Ted. Recommended for you: The Netflix Prize and the production of algorithmic culture. New Media & Society, v. 18, n. 1, p. 117-137, 2016.
HUAT, Chua Beng; IWABUCHI, Koichi. East Asian Pop Culture: Analyzing the Korean Wave. Hong Kong University Press. Hong Kong, 2008.

IADEVITO, Paula., BAVOLEO, Bárbara., & CHINKYONG Lee, Mónica. Telenovelas coreanas en América Latina:¿ una nueva forma decomunicación intercultural?. In VI Jornadas de Sociología de la UNLP 9 y 10 de diciembre de 2010 La Plata, Argentina. Universidad Nacional de La Plata. Facultad de Humanidades y Ciencias de la Educación. Departamento de Sociología. 2010.

IOSIFIDIS, Petros. Globalisation and the Re-emergence of the Regulatory State. In: Global Media and National Policies. FLEW, Terry; IOSIFIDIS, Petros; STEEMERS, Jeanette (Eds). Palgrave Macmillan, London, 2016. pp. 16-31.

JENNER, Mareike. Netflix and the Re-invention of Television. Springer, 2018.

JIN, Dal Yong. Reinterpretation of cultural imperialism: emerging domestic market vs continuing US dominance. Media, Culture & Society, 29: 5, 753-771. 2007.

JOO, Jeongsuk. Transnationalization of Korean popular culture and the rise of “pop nationalism” in Korea. The Journal of Popular Culture, 44: 3, 489-504. 2011.

KIM, Min Sung., KIM, Eun., HWANG, ShinYoung., KIM, Junghwan., KIM, Seongcheol. Willingness to pay for over-the-top services in China and Korea. Telecommunications Policy, v. 41, n. 3, 197-207, 2016.

KIM, Suweon. Who watches Korean TV dramas in Africa? A preliminary study in Ghana. Media, Culture & Society, v.40, n.2, p.296-306, 2017.

LOBATO, Ramon. Netflix nations: the geography of digital distribution. NYU Press, 2019.

LOPES, Maria Immacolata Vassalo., OROZCO GÓMEZ, Guillermo. (Re)Invenção de gêneros e formatos da ficção televisiva: anuário Obitel 2016. Porto Alegre: Sulina, 2016.

LOTZ, Amanda D. Portals: A treatise on internet-distributed television. Michigan Publishing, University of Michigan Library, 2017. Disponível em:https://quod.lib.umich.edu/m/maize/mpub9699689/ Acesso em 26 de novembro de 2019.

MARTEL, Frédéric. Mainstream: a Guerra global das mídias e culturas. Tradução de Clóvis Marques. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2012.

MAZUR, Daniela. Um Mergulho na Onda Coreana, Nostalgia e Cultura Pop na Série de K-dramas “Reply”. Niterói, RJ. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal Fluminense. 2018.

MENDES MOREIRA DE SÁ, Vanessa. Práticas digitais, níveis de envolvimento e pirataria: Um estudo sobre a recepção e distribuição informal de seriados de televisão no Brasil. Revista da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação, E-compós, Brasília, v.17, n.2, mai./ago. 2014.

NAPOLI, Philip; CAPLAN, Robyn. Why media companies insist they're not media companies, why they're wrong, and why it matters. First Monday, v. 22, n. 5, 2017.

OLIVEIRA, Rafael. “3%” – a primeira série brasileira da Netflix nasceu na USP. Jornal da USP. 2017. Disponível em: http://jornal.usp.br/cultura/a-primeira-serie-brasileira-na-netflix-3-e-da-usp/ Acesso em 26 de novembro de 2019.

RIOS, Sofia; SCARLATA, Alexa. Locating SVOD in Australia and Mexico: Stan and Blim contend with Netflix. Critical Studies in Television, v. 13, n. 4, p. 475-490, 2018.

ROBINSON, Mary Jean. Television on demand: Curatorial culture and the transformation of TV. Bloomsbury Publishing USA, 2017.

RYOO, Woongjae. Globalization, or the logic of cultural hybridization: the case of the
Korean Wave. Asian Journal of Communication, 19: 2, 137-151. 2009.

SHIM, Doobo. The growth of Korean Cultural Industries and The Korean Wave. In: East Asian Pop Culture: Analysing the Korean Wave, v. 1, 15-32, 2008.

SINCLAIR, John. Latin American television: A global view. OUP Oxford, 1998.

SINCLAIR, John., JACKA, Elizabeth., CUNNINGHAM, Stuart. “Peripheral Vision,” in The Globalization Reader, ed. Frank J. Lechner and John Boli, Oxford, Blackwell, p.301-306, 2000.

STRAUBHAAR, Joseph. Beyond media imperialism: Assymetrical interdependence and cultural proximity. Critical Studies in media communication, 8(1), 39-59, 1991.

______. Choosing national TV: Cultural capital, language, and cultural proximity in Brazil. In:
ELASMAR, Michael (Ed.). The impact of international television: A paradigm shift. Mahwah, NJ: Lawrence Erlbaum, 75-107. 2003.

TERTO, Amauri. A primeira série brasileira da Netflix, “3%” virou um baita sucesso nos EUA. Huffpost Brasil. 2017. Disponível em: https://www.huffpostbrasil.com/2017/03/17/primeira-serie-brasileira-da-netflix-3-virou-um-baita-sucess_a_21901598/ Acesso em 26 de novembro de 2019.

TRYON, Chuck. On-Demand Culture: Digital Delivery and the Future of Movies. Camden: Rutgers UP, Print, 2013.

WAISBORD, Silvio. McTV: Understanding the global popularity of television formats. Television & New Media, 5(4), 359-383, 2004.

WALLERSTEIN, Immanuel Maurice. European universalism: The rhetoric of power. The New Press, 2006.

YANARDAGOGLU, Eylem; KARAM, Imad N. The fever that hot Arab satellite television: Audience perceptions of Turkish TV series. Identities: Global Studies in Culture and Power, 20:5, 561-579. 2013.
Publicado
2020-06-11
Como Citar
MEIMARIDIS, M.; MAZUR, D.; RIOS, D. A Empreitada Global da Netflix:. Revista GEMInIS, v. 11, n. 1, p. 4-30, 11 jun. 2020.
Seção
Artigos