Televisão Digital Móvel e Portátil

  • Letícia Passos Affini UNESP
  • Elica Ito UNESP
Palavras-chave: audiovisual, televisão digital, mobilidade, portabilidade, programação

Resumo

O padrão de televisão digital adotado pelo Brasil permite a recepção do sinal da TV aberta em aparelhos móveis e portáteis. O presente trabalho tem como propósito analisar questões relacionadas à transmissão do sinal de TV aberta e gratuita para recepção em dispositivos móveis e portáteis possibilitados pelo padrão 1SEG. Abordaremos o comportamento do usuário, a programação, o prime time, além de experiências no Japão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Letícia Passos Affini, UNESP
Letícia Passos Affini, Professora Assistente Doutora do Departamento de Comunicação Social da Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”. Doutora em Comunicação e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Desenvolve pesquisa na área de produção de conteúdo audiovisual. Líder do Grupo de Pesquisa Artemídia e Videoclip da UNESP.
Elica Ito, UNESP
Elica Ito, Mestranda do Curso de Televisão Digital: Informação e Conhecimento da UNESP e graduada em Comunicação Social Rádio e TV pela UNESP, Bauru/SP.

Referências

CANNITO, N. A televisão na era digital: Interatividade, convergência e novos modelos de negócios. São Paulo: Summus, 2010.

CASTELLS, M. Communication, Power and Counter-power in the Network Society. In: International Journal of Communication, Vol. 1, 2007, pp. 238-266.

CASTELLS, M; KATZ, J. E. Handbook of Mobile Communication Studies. Cambridge: MIT Press, 2008, p. 447-451.

CASTELLS, M.; QUI, J.; FERNANDEZ-ARDEVOL, M.; SEY, A. Mobile communication and society: a global perspective. Cambridge: MIT Press, 2007.

CUIL, Y.; CHIPCHASE, J.; YOUNGHEE, J. Personal TV: A Qualitative Study of Mobile TV Users. In: EuroITV 2007, Amsterdã, p. 195-204, 2007.

FISKE, J. Television Culture. Londres: Methuen, 1987.

LEMOS, A. Comunicação e práticas sociais no espaço urbano: as características dos Dispositivos Híbridos Móveis de Conexão Multirredes (DHMCM). In Revista Comunicação, Mídia e Consumo, São Paulo, v.4, n.10, p.23-40, julho 2007a.

GAWLINSKI, M. Interactive television production. Oxford: Focal Press, 2003.

KNOCHE, H.; SASSE. M.A. Getting the Big Picture on Small Screens: Quality of Experience in Mobile TV, 2006. Disponível em: <http://www.cs.ucl.ac.uk/staff/H.Knoche/Hendrik Knoche - Home_files/2006 idea book chapter -GettingTheBigPicturesOnSmallScreens.pdf>. Acesso em: 10 janeiro 2011.

KOJI, M; SUGAHARA, T; ODA, H. Relax or Study? A qualitative study usage of live mobile TV and mobile video. ACM Comput. Entertain. 7, 3, Artigo 43, set. 2009. 115

URBAN, A. Mobile Television: Is It Just A Hype Or A Real Consumer Need?. In: Observatorio Journal, Budapeste, Journal 3, 2007.

WILLIANS, R; WILLIANS, E. Television: technology and cultural form. Londres: Fontana, 1974.

Como Citar
PASSOS AFFINI, L.; ITO, E. Televisão Digital Móvel e Portátil. Revista GEMInIS, v. 2, n. 1, p. 106-115, 11.