A EXPERIÊNCIA IMERSIVA NA PRODUÇÃO DO JORNALISMO PÓS-INDUSTRIAL

Palavras-chave: Jornalismo imersivo, jornalismo em realidade virtual, jornalismo pós-industrial

Resumo

Resumo: A estrutura do jornalismo pós-industrial provocou mudanças no modelo de negócios das empresas jornalísticas, principalmente, no que se refere ao processo de produção nas plataformas digitais. Neste contexto, a produção de vídeos em 360º e em realidade virtual (RV) vem se destacando como estratégia de narrativa e engajamento de público por grupos como New York Times, The Guardian, O Estado de São Paulo, entre outros. Assim, o presente trabalho propõe uma reflexão sobre essa experiência e as questões envolvendo o uso da realidade virtual no jornalismo pós-industrial, a percepção do usuário e dos produtos e as eventuais questões éticas.    Palavras-chave: Jornalismo imersivo; jornalismo em realidade virtual; jornalismo pós-industrial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Angelo Sastre, UNESP (campus Bauru)
Doutorando no programa de Mídia e Tecnologia da UNESP/Bauru, mestre em Sociologia (UNESP/Araraquara), bacharel em Jornalismo pela UNESP/Bauru. Pesquisador no Genem (Grupo de Estudos sobre a Nova Ecologia dos Meios) da UNESP/Bauru, professor titular (concursado) e coordenador dos cursos de jornalismo e de comunicação social – habilitação em publicidade no IMESB (Instituto Municipal de Ensino Superior de Bebedouro – “Victório Cardassi”), E-mail: angelosastre@gmail.com .
Francisco Rolfsen Belda, Unesp (campus Bauru)
Doutor em Engenharia de Produção (EESC-USP), mestre em Ciências da Comunicação (ECA-USP), docente do doutorado no Programa de Pós-Graduação em Mídia e Tecnologia (PPGMiT) da UNESP/Bauru. É professor visitante na Brandeis University, em Massachusetts (EUA).

Referências

ÁRBOL, M. R. ¿Cambiará la realidad virtual al periodismo? (Reportaje en vídeo 360º). El País (online), El futuro es apasionante, Comunicación y tecnología, Madrid, 10.nov.2016. Disponível em: . Acesso em: 07.out.2017
CASTELLS, M. A sociedade em rede - a era da informação: economia, sociedade e cultura. São Paulo: Paz e Terra, 2005. v. 1.
JARVIS, J. El fin de los medios de comunicación de masas: ¿Cómo serán las noticias del futuro? Barcelona: Gestión 2000, 2015
JENKINS. H. Cultura da Convergência: a colisão entre os velhos e novos meios de comunicação. 2 ed. São Paulo: Aleph, 2009.
___________ Transmedia storytelling. Moving characters from books to films to video games can make them stronger and more compelling. Technology Review. 2003, January 15.
___________ Fans, bloggers, and gamers: Exploring participatory culture. New York: New York University Press, 2006.
MCLUHAN, M. Os meios de comunicação como extensões do homem. 18. ed. São Paulo: Cultrix, 2006.
SCOLARI, C.A. Hipermediaciones. Barcelona: Gedisa, 2008.
_____________. Narrativas transmídias: consumidores implícitos, mundos narrativos e branding na produção da mídia contemporânea. Revista Científica de Comunicação Social da FIAM-FAAM, São Paulo, Jan./Jun.2015, v. 1, n. 3, 2015. Disponível em: http://revistaseletronicas.fiamfaam.br/index.php/recicofi/article/view/291/298. Acesso em: 12.jun.2015
SRZD. O jornalismo de imersão chega ao Brasil. Rio de Janeiro, geral, artigo, 07.nov.2017. Disponível em: . Acesso em: 18.jul.2018
OWEN, T.;  PITT, F.; ARONSON-RATH, R.; MILWARD, J. Periodismo de realidad virtual. Nova Iorque: Columbia University/The Tow Center for Digital Journalism, 2015. Disponível em: Acesso em 07.out.2017.
WILLENS, M. One year in: What The New York Times learned from its 360-degree video project, The Daily 360. Digiday UK, London, 14.nov.2017. Disponível em: . Acesso em: 18.jul.2018
Publicado
2019-04-07
Como Citar
SASTRE, A.; BELDA, F. A EXPERIÊNCIA IMERSIVA NA PRODUÇÃO DO JORNALISMO PÓS-INDUSTRIAL. Revista GEMInIS, v. 9, n. 3, p. 80-88, 7 abr. 2019.