SELF-DIGITAL:

A CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE DAS ORGANIZAÇÕES NAS MÍDIAS SOCIAIS

  • Victor Laus-Gomes Universidade Católica de Brasília https://orcid.org/0000-0002-8497-4392
  • Tatiane Rodrigues Carvalho de Oliveira Universidade Católica de Brasília
  • Robson Dias Universidade Católica de Brasília
  • Florence Dravet Universidade Católica de Brasília
Palavras-chave: Identidade, Organização, Self-digital, Mídias Sociais

Resumo

Este trabalho é uma reflexão téorica sobre as transformações nos processos de construção da identidade das organizações no ambiente digital. Tendo como referência teórico-metodológica a teoria da complexidade de Edgar Morin, além dos conceitos propostos por George Herbert Mead e por Erving Goffman, é discutida a reflexividade do self a partir de narrativas que possibilitam o reconhecimento e a legitimação social. A noção de self-digital é proposta, como forma de compreender a identidade organizacional em uma perspectiva complexa e interacional, com base nos sentidos que são (re)produzidos nas mídias sociais.

Biografia do Autor

Victor Laus-Gomes, Universidade Católica de Brasília
Doutor em Comunicação Social, Professor e Pesquisador na Universidade Católica de Brasília, Programa de Pós-Graduação em Educação e Mestrato Profissional Inovação em Comunicação e Economia Criativa. Líder do Núcleo de Estudos Comunicacionais da Estratégia (Grupo de Pesquisa certificado na base do CNPq).
Tatiane Rodrigues Carvalho de Oliveira, Universidade Católica de Brasília
Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Católica de Brasília, Jornalista, Gerente Nacional de Assessoria de Imprensa da Caixa Econômica Federal. Membro do Núcleo de Estudos Comunicacionais da Estratégia (Grupo de Pesquisa certificado na base do CNPq).
Robson Dias, Universidade Católica de Brasília
Doutor em Comunicação, Professor e Pesquisador na Universidade Católica de Brasília, Programa de Pós-Graduação em Educação e Mestrato Profissional Inovação em Comunicação e Economia Criativa. Membro do Núcleo de Estudos Comunicacionais da Estratégia (Grupo de Pesquisa certificado na base do CNPq).
Florence Dravet, Universidade Católica de Brasília
Doutora em Didactologia das Línguas e Culturas, Coordenadora do Mestrato Profissional Inovação em Comunicação e Economia Criativa, Professora e pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Educação.

Referências

BALDISSERA, Rudimar. Tensões dialógico-recursivas entre a comunicação e a identidade organizacional. Organicom, São Paulo, n.7, p. 230-243, 2007. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/organicom/article/view/138954

BALDISSERA, Rudimar. A teoria da complexidade e novas perspectivas para os estudos de comunicação organizacional. In: KUNSCH, Margarida (Org.). Comunicação Organizacional. Volume 1. São Paulo: Saraiva, 2009a.

BALDISSERA, Rudimar. Comunicação Organizacional na perspectiva da complexidade. Communitá, 2009b. Disponível em: http://www.communita.com.br/assets/comunicacaoorganizacionalrudimar.pdf. Acesso realizado em 15 de junho de 2018.

BALDISSERA, Rudimar. Significação e comunicação na construção da imagem-conceito. Revista Fronteiras - Estudos Midiáticos. Vol. X. N. 3. Set-dez. 2008

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. Volume I. São Paulo: Editora Paz e Terra, 2012.

CARVALHO, Virgínia Donizete de; BORGES, Lívia de Oliveira; RÊGO, Denise Pereira. Interacionismo Simbólico: Origens, Pressupostos e Contribuições aos estudos em Psicologia Social. Periódico Eletrônico Psicologia, Ciência e Profissão, 30, p.146-161, 2010.

CAVALCANTE, Ricardo Caribé. Comunicação Organizacional: uma abordagem a partir do Interacionismo Simbólico. XXXII Encontro da ANPAD. Rio de Janeiro: enANPAD, 06 a 10 de setembro, 2008.

CHANLAT, Jean-François. Por uma antropologia da condição humana nas organizações. In: Chanlat, Jean-François (Org.). O indivíduo na organização: Dimensões esquecidas. São Paulo: Atlas, 2009.

ETKIN, Jorge; SCHVARSTEIN, Leonardo. Identidad de las organizaciones: invariancia y cambio. Buenos Aires: Paidós, 2011.

FRANÇA, Ana Carolina Pontes. Self-digital: explorações acerca da construção do eu na Internet. Disponível em: https://repositorio.ufpe.br/bitstream/123456789/8237/1/arquivo3881_1.pdf. Acesso realizado em 28 de novembro de 2018.

FREITAS, Maria Ester. Cultura organizacional: o doce controle no clube dos raros. In: MOTTA, Fernando P.; CALDAS, Miguel P. (Orgs.). Cultura Organizacional e Cultura Brasileira. São Paulo: Atlas, 1997.

GASTALDO, Édison; BRAGA, Adriana. O legado de Chicago e os estudos de recepção, usos e consumos midiáticos. Revista FAMECOS. Porto Alegre, n.39, 2009, p.78-84.

GIDDENS, Anthony. Modernidade e Identidade. Rio de Janeiro: J. Zahar, 2002.

GOFFMAN, Erving. A representação do eu na vida cotidiana. Petrópolis: Editora Vozes, 2009.

HAN, Byung-Chul Han. No Enxame: Reflexões sobre o digital. Lisboa: Relógio D’agua Editores, 2016.

KUNSCH, Margarida. Percursos paradigmáticos e avanços epistemológicos nos estudos da comunicação organizacional. In: KUNSCH, Margarida (Org.). Comunicação Organizacional. Volume 1. São Paulo: Saraiva, 2009.

LÉVY, Pierre. O que é virtual? São Paulo: Editora 34, 2º ed., 2011.

MARCHIORI, Marlene. Cultura e comunicação organizacional: uma perspectiva de inter-relacionamento. In: MARCHIORI, Marlene (Org.). Comunicação em interface com a cultura. Rio de Janeiro: Editora Senac, 2013.

MARCHIORI, Marlene; Vilaça, Wilma. Cultura Organizacional e Comunicação nas Organizações contemporâneas: Temas imbricados ou desarticulados?. Disponível em: http://www.uel.br/grupo-estudo/gefacescom/images/Congresso_08_Abrapcorp_2011.pdf. Acesso em 23 de outubro de 2018.

MARTINO, Luiz Mauro Sá. Comunicação e identidade: quem você pensa que é? São Paulo: Paulos, 2010.

MATUCK, Artur; MEUCCI, Arthur. A criação de identidades virtuais através das linguagens digitais. Revista Comunicação, Mídia e Consumo, vol.2, n.4, jul.2005, p.157-182.

MEAD, George H. Mind, self and society. Chicago: The University of Chicago, 2015.

MOCELLIM, Alan. Internet e Identidade: um estudo sobre o website Orkut. Biblioteca online de Comunicação, 2007. Disponível em: www.bocc.ubi.pt. Acesso em 20 de maio de 2018.

MORGAN, Gareth. Imagens da Organização. São Paulo: Atlas, 2011.

MORIN, Edgar. O Método: A vida da vida. Portugal: Publicações Europa-America Ltda, 1980.

MORIN, Edgar. O Método: O conhecimento do conhecimento. Porto Alegre: Sulina, 2012.

MORIN, Edgar. Ciência com consciência. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2000.

RECUERO, Raquel. O que é mídia social? Disponível em http://www.raquelrecuero.com/arquivos/o_que_e_midia_social.html. Acesso realizado em 28 de novembro de 2018.

RECUERO, Raquel. Mídia social x Rede social. Disponível em http://www.raquelrecuero.com/arquivos/midia_x_rede_social.html. Acesso realizado em 28 de novembro de 2018.

RUÃO, Teresa. A organização comunicativa. Teoria e prática em comunicação organizacional. Centro de estudos de comunicação e sociedade. Universidade do Minho, Braga. Portugal, 2016.

SÁ, Simone Pereira de; POLIVANOV, Beatriz. Auto-reflexividade, coerência expressiva e performance como categorias para análise dos sites de redes sociais. Contemporânea, comunicação e cultura. v.10, n.03, set-dez 2012, p.574-596.

SAAD, Elizabeth. Comunicação Digital e novas mídias institucionais. In: . KUNSCH, Margarida. Comunicação Organizacional. Volume 1. São Paulo: Saraiva, 2009.

Publicado
2019-07-19
Como Citar
LAUS-GOMES, V.; CARVALHO DE OLIVEIRA, T.; DIAS, R.; DRAVET, F. SELF-DIGITAL:. Revista GEMInIS, v. 10, n. 1, p. 27-48, 19 jul. 2019.