O HUMOR DE CHICO ANYSIO NAS PROPAGANDAS DA HAVAIANAS NAS DÉCADAS DE 1960 A 1980

  • Maicon Ferreira de Souza Unicentro http://orcid.org/0000-0003-1776-5686
  • João Antonio Franz Graduado em Comunicação Social - Publicidade e Propaganda.
Palavras-chave: Propaganda, Audiovisual, Humor, Havaianas, Chico Anysio

Resumo

Objetivo desse trabalho é identificar se a marca Havaianas conduziu o padrão de humor em suas propagandas protagonizadas por Chico Anysio, ou se foi Chico Anysio quem determinou a abordagem humorística nos comerciais da marca. Tendo como base as teorias do humor criadas por Bergson, e como corpus os comerciais da Havaianas entre as décadas de 1960 e 1980, comparados com outros comerciais da mesma época, porém de diferentes marcas e linguagens. Constatamos que o humor de Chico tem de fato, relação com a marca Havaianas e foi utilizado em sua originalidade como humor de mercado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maicon Ferreira de Souza, Unicentro
Professor da Universidade Estadual do Centro-Oeste do Paraná, Graduado em Comunicação Social - Publicidade e Propaganda, Mestre em Televisão Digital, Doutor em Comunicação e Linguagens.

Referências

ALMEIDA, João Daniel Lima de. História do Brasil. Brasília: Funag, 2013. 595 p.

ANYSIO, Chico. Sou Francisco. Rio de Janeiro: Rocco, 1992. 184 p.

BERGSON, Henri. O riso: ensaio sobre significação da comicidade. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1940. (1). Tradução por Zahar Editores, 1983.

FREUD, Sigmund. Jokes and Their Relation to the Unconscious, Standard Edition of the Complete Works of Sigmund Freud, ed. James Strachey, London: Vintage, vol. 8, 2001.

JONES, John Philip. A Publicidade Como Negócio. São Paulo: Nobel, 2002.

MAGER, Gabriela B. Havaianas, por que todo mundo usa? O espaço social da marca e o design na contemporaneidade. Tese de Doutorado, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2011.

MORIN, Violette. 1966. L'histoire drole. Communications. 8. 102-119. Rpt. in: L'analyse structurale du recit. Communications.· 8. Paris: Seuil. 1981.

MORIN, Edgar. Cultura de Massas no Séc XX: neurose. 9.ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1997, 202 p.

MORREALL, J. (Ed.). The philosophy of laughter and humor. Albany, NY: State University of New York Press, 1987.

RASKIN, V. Semantic mechanisms of humor. D. Reidel: Dordrecht, 1985.

REGO, Walquíria Leão. Aspectos teóricos das políticas de cidadania: uma aproximação ao Bolsa Família. In: Lua Nova, São Paulo, p. 147-185, 2008, disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ln/n73/n73a07.pdf

SUASSUNA, Ariano. Iniciação à Estética. 5ª Edição, Recife: Ed. Universitária da UFPE, 2002.

STOTT, Andrew. Comedy: The New Critical Idiom. Nova York: Routledge, 2005. 165 p.

TABACARU, Sabina. Uma visão geral das Teorias do Humor: aplicação da Incongruência e da Superioridade ao sarcasmo. Trad. Douglas Rabelo de Sousa, Maria Gabriela Rodrigues de Castro, Winola Weiss Pires Cunha, Filipe Mantovani Ferreira. EID&A - REEIDA, Ilhéus, n. 9, p. 115-136, dez. 2015.

Publicado
2018-11-20
Como Citar
SOUZA, M.; FRANZ, J. O HUMOR DE CHICO ANYSIO NAS PROPAGANDAS DA HAVAIANAS NAS DÉCADAS DE 1960 A 1980. Revista GEMInIS, v. 9, n. 2, p. 117-140, 20 nov. 2018.
Seção
Espaço Convergente