A agenda da diversidade na cultura pop: o apelo feminista das séries televisivas Supergirl e Agente Carter

  • Gabriela Machado Ramos de Almeida Universidade Luterana do Brasil (ULBRA)
  • Ana Caroline Maciel Szezecinski Universidade Luterana do Brasil (ULBRA)
Palavras-chave: Histórias em quadrinhos, Narrativas seriadas televisivas, Diversidade, Feminismo, Supergirl e Agente Carter

Resumo

Este artigo discute o apelo feminista das séries televisivas Supergirl e Agente Carter, protagonizadas por super-heroínas mulheres e criadas a partir de personagens oriundas de histórias em quadrinhos. O trabalho aborda as transformações pelas quais vêm passando os campos do audiovisual e dos quadrinhos, com a valorização de uma agenda em favor da diversidade que opera como resposta a uma demanda colocada à produção simbólica que é própria do tempo presente. Busca-se compreender, em Supergirl e Agente Carter, o modo como a construção das protagonistas nos episódios piloto de cada série dá a ver um discurso feminista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriela Machado Ramos de Almeida, Universidade Luterana do Brasil (ULBRA)
Doutora em Comunicação e Informação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), com estágio doutoral na Universitat Autònoma de Barcelona (UAB). Mestre em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Professora do curso de Comunicação Social da Universidade Luterana do Brasil (ULBRA).
Ana Caroline Maciel Szezecinski, Universidade Luterana do Brasil (ULBRA)
Graduanda em Jornalismo pela Universidade Luterana do Brasil (ULBRA). Bolsista de iniciação científica.

Referências

CANCLINI, Nestor. Consumidores e cidadãos. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2010.

JOST, François. Do que as séries americanas são sintoma?. São Paulo: Sulina, 2012.

KELLNER, Douglas. A Cultura da Mídia. São Paulo: Edusc, 2001.

PALLOTINI, Renata. Dramaturgia: A Construção do Personagem. São Paulo: Ática, 1989

LOURO, Guacira. Gênero, Sexualidade e Educação: uma perspectiva pós-estruturalista. Rio de Janeiro: Editora Vozes, 1997

SCOTT, Joan. Gender: a useful category of historical analyses. Gender and the politics of history. New York, Columbia University Press. 1989.

Publicado
2018-06-22
Como Citar
RAMOS DE ALMEIDA, G.; SZEZECINSKI, A. C. A agenda da diversidade na cultura pop: o apelo feminista das séries televisivas Supergirl e Agente Carter. Revista GEMInIS, v. 9, n. 1, p. 93-110, 22 jun. 2018.