Cenário de pós-digitalização: tecnologias e serviços nos multiplexes de Campinas

Palavras-chave: mercado, cinema, exibição, multiplexes, tecnologia, serviços

Resumo

Com o parque exibidor nacional digitalizado, surgem novas demandas e discussões sobre as configurações das salas de cinema. É preciso investir cada vez mais em novos conteúdos e novos atrativos. Campinas possui uma grande variedade de empresas exibidoras, sendo diversas as opções de configurações de salas e tecnologias presentes, já que a população frequenta muito os cinemas e se mostra disposta a pagar por um serviço diferenciado. A partir disso, propomos observar essas diversas tecnologias de projeção e modernos complexos instalados no município, nos questionando como a indústria de exibição de filmes se comporta nesse cenário tecnológico e de consumo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eduarda Wilhelm, Universidade Estadual de Campinas
Mestranda do Programa de Pós-graduação em Multimeios pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Graduada em Comunicação Social - Habilitação Jornalismo na Universidade Federal de Santa Maria, campus Frederico Westphalen (2013-2016). Atuou como bolsista na Agência Experimental de Notícias Da Hora UFSM/FW e no projeto de extensão "Vídeo Entre-Linhas: formação de jovens realizadores em Frederico Westphalen e região", da mesma instituição. Também foi voluntária no projeto de pesquisa "Educomunicação e processos de protagonismo jovem". Tem interesse nas áreas de cinema, produção audiovisual, memória e midiatização. 
Noel dos Santos Carvalho, UNICAMP
Professor do Departamento de Multimeios, Mídia e Comunicação e do Programa de Pós-Graduação em Multimeios - UNICAMP. Pesquisador Associado do Centre de Recherches Interdisciplinaires sur les Mondes Ibériques Contemporains (CRIMIC) - Univ. Paris-Sorbonne, IV. Graduado em Ciências Sociais (USP), mestre em Multimeios (UNICAMP) e doutor em Sociologia (USP). Investiga os temas: cinema e cultura brasileira; o negro e o cinema brasileiro; cinema e política; produção, inovação e mercado cinematográfico.

Referências

ALENCAR, Natalí. Evolução do conceito “VIP”. Revista Exibidor, p. 26-28, ano II, nº 26, jul.-set. 2017.

______. Salas de luxo ganham espaço no mercado exibidor. Revista Exibidor, p. 23-28, ano I, nº 2, jul. 2011.

ALMEIDA, Paulo Sérgio; BUTCHER, Pedro. Cinema: desenvolvimento e mercado. Rio de Janeiro: Aeroplano, 2003.

BERTINI, Alfredo. Economia da cultura: a indústria do entretenimento e o audiovisual no Brasil. São Paulo: Saraiva, 2008.

BRAGA, Rodrigo Saturnino. Distribuição cinematográfica. In: DIAS, Adriana; BARBOSA, Letícia de Souza. (Org.). Film Business: o negócio do cinema. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010, p. 51-128.

ANDRÉ, Thiago Afonso de. Cinema digital: a recepção nas salas. 2017. 285 f. Tese (Doutorado em Meios e Processos Audiovisuais) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017.

GARREFA, Fernando. Shopping centers: de centro de abastecimento a produto de consumo. 2007. 297 f. Tese (Doutorado em Planejamento Urbano e Regional) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

GATTI, André Pierro. Algumas teses sobre o fim da era 35 mm no Brasil (1997-2014): novos problemas sobre a ocupação do mercado. In: I JORNADA INTERNACIONAL GEMINIS: ENTRETENIMENTO TRANSMÍDIA. Anais eletrônicos… São Carlos: UFSCar, 2014. Disponível em: <http://www.jig.ufscar.br/index.php/anais-2014/>. Acesso em: 10 nov. 2017.

GUIMARÃES, Thayz. Do multiplex à sala VIP. Revista Filme B, p. 52-54, abr. 2017.

KINOPLEX inaugura duas salas VIP. Correio Popular, Campinas, 14 jul. 2014. Disponível em: <http://www.agemcamp.sp.gov.br/cultura/index.php?option=com_content&view=article&id=6238%3Akinoplex-inaugura-duas-salas-vip&Itemid=56〈=en>. Acesso em: 19 set. 2017.

LUCA, Luiz Gonzaga Assis de. A sala de cinema: critérios para uma sala de exibição moderna. Dissertação (Mestrado em Artes) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2000.

NASCIMENTO, Paulo Cesar. Interior perde seu maior cinema. O Estado de S. Paulo, p. 43, 24 ago. 1986.

PEDROSO, Francis. O centro de Campinas (SP) – usos e transformações. 2007. 133 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2007.

REDSTONE, Shari E. The exhibition business. In: SQUIRE, Jason E. (Ed.). The movie business book. 4. ed. Fireside: New York, 2004, p. 401-420.

SOUZA, Marcelo Lopes. ABC do Desenvolvimento Urbano. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003.

TRINDADE, Fábio. Kinoplex inaugura sala IMAX: experiência inovadora. Correio Popular,

Campinas, 12 fev. 2015. Disponível em: <http://correio.rac.com.br/_conteudo/2015/02/impresso_caderno_c/240343-kinoplex-inaugura-hoje-sala-imax.html>. Acesso em: 19 set. 2017.

Publicado
2018-06-22
Como Citar
WILHELM, E.; CARVALHO, N. DOS S. Cenário de pós-digitalização: tecnologias e serviços nos multiplexes de Campinas. Revista GEMInIS, v. 9, n. 1, p. 125-142, 22 jun. 2018.