NOVOS DEBATES E VELHOS QUESTIONAMENTOS DO FEMINISMO NAS REDES: O CASO DO GRUPO “ROLÊ DAS MINAS”

  • Talita Bristotti Pereira da Silva PUC-Campinas
  • Tarcisio Torres Silva PUC-Campinas
  • Márcia Eliane Rosa PUC-Campinas
Palavras-chave: pós-humano, netativismo, feminismo, Facebook, Rolê das Minas

Resumo

Este trabalho analisa o que está sendo discutido dentro de grupos feministas brasileiros articulados nas redes sociais digitais. Para o recorte, foram estudadas as postagens de um grupo privado no Facebook com mulheres da região da cidade de Campinas, no interior do Estado de São Paulo, o “Rolê das Minas”, elencando as principais temáticas dessas discussões. A pesquisa parte do princípio que, com a disseminação do feminismo nas redes digitais, houve uma pulverização dos debates sobre o tema, o que resultou em novas demandas para o movimento, que hoje vai além da igualdade sexual, econômica e política entre os gêneros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Talita Bristotti Pereira da Silva, PUC-Campinas
É mestranda no Programa de Pós-graduação em Linguagens, Mídia e Arte da Pontifícia Universidade Católica de Campinas e graduou-se em Jornalismo (2012) pela universidade.
Tarcisio Torres Silva, PUC-Campinas
Docente do mestrado em Linguagens, Mídia e Arte e do Centro de Linguagem e Comunicação da PUC-Campinas. Doutor em Artes Visuais (Unicamp), com estágio de doutorado no Goldsmiths College, Universidade de Londres.
Márcia Eliane Rosa, PUC-Campinas
Docente do mestrado em Linguagens, Mídia e Arte e do Centro de Linguagem e Comunicação da PUC-Campinas. Doutora em Comunicação (ECA-USP).

Referências

CASTELLS, M. Redes de indignação e esperança: movimentos sociais na era da Internet. Rio de Janeiro: Zahar, 2013.

Di FELICE, M. Netativismo: novos aspectos da opinião pública em contextos digitais. In: Revista FAMECOS, v. 19, p. 27-45, 2012. Disponível em: <http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistafamecos/article/view/11339/0>. Acesso em 8 de novembro de 2016.

Di FELICE, M. Ser redes: o formismo digital dos movimentos net-ativistas. In: Matrizes, v. 7, p. 49-71, 2013. Disponível em: <http://www.revistas.usp.br/matrizes/article/viewFile/69406/71974>. Acesso em 8 de novembro de 2016.

Di FELICE, M.; PIREDDU, M. Pós humanismo: as relações entre o humano e a técnica na época das redes. São Paulo: Difusão Editora, 2010.

FEMINISM. Oxford English Dictionary. 14 nov. 2016. Disponível em: <https://en.oxforddictionaries.com/definition/feminism>. Acesso em 14 de novembro de 2016.

FERREIRA, G.S. Feminismo e redes sociais na Marcha das Vadias no Brasil. In: Revista Ártemis, vol. XV, nº 1, p. 33-43, jan/jun, 2013. Disponível em: <http://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/artemis/article/view/16636>. Acesso em 6 de julho de 2016.

HAYLES, K. How we became posthumans? Chicago: The University os Chicago Press, 1999.

HARAWAY, D. Manifesto ciborgue: ciência, tecnologia e feminismo-socialista no final do século XX. In: SILVA, T.T. (org.). Antropologia do ciborgue: as vertigens do pós-humano. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2009.

LATOUR, B. Jamais fomos modernos: ensaio de antropologia simétrica. São Paulo, Editora 34, 2013.

NEGRI, A. Por uma definição ontológica de multidão. In: Lugar Comum, Rio de Janeiro, nº19-20, p. 15-26, 2004. Disponível em: <http://uninomade.net/wp-content/files_mf/113103120455output19-20.pdf>. Acesso em 8 de novembro de 2016.

SANTAELLA, L. Temas e dilemas do pós-digital: a voz da política. São Paulo: Paulus, 2016.

SIQUEIRA, C.K.B. As três ondas do movimento feminista e suas repercussões no direito brasileiro. In: Poder, Cidadania e Desenvolvimento no Estado Democrático de Direito. Florianópolis: Conpedi, 2015. Disponível em: <http://www.conpedi.org.br/publicacoes/66fsl345/w8299187/ARu8H4M8AmpZnw1Z.pdf>. Acesso em 1 de dezembro de 2016.

ZIZEK, S. Problemas no paraíso. In: MARICATO, E. et al. Cidades Rebeldes. São Paulo: Boitempo, 2013.

Publicado
2018-11-20
Como Citar
SILVA, T.; SILVA, T.; ROSA, M. NOVOS DEBATES E VELHOS QUESTIONAMENTOS DO FEMINISMO NAS REDES: O CASO DO GRUPO “ROLÊ DAS MINAS”. Revista GEMInIS, v. 9, n. 2, p. 63-78, 20 nov. 2018.
Seção
Espaço Convergente