Crossover no Universo Marvel: estudo do caso sobre a série luke cage

Palavras-chave: Narrativa transmídia, Crossover, Audiovisual, Netflix, Marca

Resumo

O Universo Cinematográfico Marvel é dado a partir da conexão das narrativas disponibilizadas em diferentes plataformas midiáticas. Desse modo, são ofertados produtos diferenciados e inovadores ao consumidor. Nesse cenário, busca-se responder a seguinte pergunta: quantos elementos crossover aparecem no primeiro episódio da primeira temporada da série Luke Cage? Estabeleceu-se como metodologia a pesquisa bibliográfica e a aplicação do estudo do caso proposto por Robert K. Yin (2010). Constatou-se a ocorrência de oito elementos crossover, estes articulam tramas distintas. Destaca-se no estudo a incorporação da experiência on demand como parte da expansão do universo ficcional Marvel.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Letícia Passos Affini, Unesp Bauru
Professora Doutora no PPGMiT da FAAC/Unesp Bauru, doutora em Comunicação e Cultura pela UFRJ, mestre em Comunicação e Semiótica pela PUC de São Paulo e Bacharel em Comunicação Social - Radialismo pela FAAC-Unesp Bauru e pesquisadora líder do GrAAu – Grupo de Análise do Audiovisual, cadastrado no CNPq.
Laís Maria Fermino de Souza, Unesp Bauru
Mestranda de  PPGMiT da FAAC/Unesp Bauru, Bacharel em Relações Públicas pela FAAC/Unesp Bauru e pesquisadora do GrAAu – Grupo de Análise do Audiovisual, cadastrado no CNPq.

Referências

ABC, Marvel: 75 Years From Pulp to Pop! Disponível em: <https://vimeo.com/112250759> Acesso em: 23 maio 2017.

BOLTER, J. D.; GRUSIN, R. Remediation: understanding new media. Cambridge, Massachussets, 2000.

BORDWELL, D. Narration in the Fiction Film. Madison: University of Wisconsin Press, 1985.

BOTSMAN, R; ROGERS, R. O que é meu é seu: como o consumo colaborativo vai mudar o nosso mundo. Porto Alegre: Bookman, 2011.

FACEBOOK, Netflix. Disponível em: <https://www.facebook.com/netflixbrasil/> Acesso em: 28 maio 2017.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

GUERRERO-PICO, M. y SCOLARI, C.A. (2016). Narrativas transmedia y contenidos generados por los usuarios: el caso de los crossovers. Cuadernos.info, (38), 183-200. doi: 10.7764/cdi.38.760.

JENKINS, H. Cultura da Convergência. São Paulo: Ed. Aleph, 2008.

JOHNSON, S. Everything Bad Is Good for You: How Today’s Popular Culture Is Actually Making Us Smarter. New York: Riverhead Books, 2005.

KOTLER, P. Marketing 3.0: as forças que estão definindo o novo marketing centrado no ser humano. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.

KULESKA, J.; BIBBO, U. S. A televisão a seu tempo: Netflix inova com produção de conteúdo para o público assistir como e quando achar melhor, mesmo que seja tudo de uma vez. Revista de Radiodifusão, v.7. n. 8. P;44-51. Disponível em: <http://www.set.org.br/revistaeletronica/index.php/revistaderadiodifusao/article/view/90>. Acesso em: 22 maio 2017.

LADEIRA, J. M. Negócios de audiovisual na internet: uma comparação entre Netflix, Hulu e iTuner-Apple TV, 2005-2010. Revista Contracampo, Niterói, v. 26, n.1, p.145-163, 2013.

LÉVY, P. A inteligência coletiva: por uma antropologia do ciberespaço. São Paulo: Loyola, 1998.

MARVEL. About Marvel. Disponível em:<http://marvel.com/corporate/about> Acesso em: 23 maio 2017.

MITTEL, J. Complexidade narrativa na televisão americana contemporânea. MATRIez, Ano 5 – nº 2 jan./jun. 2012. São Paulo, p. 29-52

NETFLIX. Sobre a Netflix. Disponível em: < https://media.netflix.com/pt_br/about-netflix>. Acesso em: 23 maio 2017.

PESCATORE, G.; INNOCENTI, V. Changing series: Narrative models and the role of the viewer in contemporary television seriality. Università di Cagliari, Between Journal, Vol 4, n. 8, 2015. Disponível em: <http://ojs.unica.it/index.php/between/article/view/4>. Acesso em 10 dez. 2016.

PRIMO, A. Interação mediada por computador: comunicação, cibercultura, cognição. Porto Alegre: Sulina, 2007.

SEMPRINI, A. A marca pós-moderna: Poder e Fragilidade da Marca na Sociedade Contemporanea. 2. Ed. – São Paulo: Estação das Letras e Cores, 2010.

SILVA, M. V. B. Cultura das séries: forma, contexto e consumo de ficção seriada na contemporaneidade. Disponível em:<http://compos.org.br/data/biblioteca_2076.pdf>. Acesso em: 23 maio 2017.

TRANSMIDIA STORYTELLER. Types of Transmidia. Disponível em: <http://www.tstoryteller.com/transmedia-storytelling/types-of-transmedia>Acesso em: 23 maio 2017.

VOLLMER, C.; PRECOURT, G. Sempre ligado! : propaganda, marketing e mídia em uma era controlada pelo consumidor. Porto Alegre: Bookman, 2010.

YIN, R. Estudo de caso: planejamento e métodos. 4. ed. Porto Alegre: Bookman, 2010.

YOUTUBE. Netflix Brasil. Estudar ou não estudar, eis a questão. Disponível em <https://www.youtube.com/watch?v=wpjU4vRIMNY&index=6&list=PLalmCWWs26Eq9o94uCOTL3QuUJkp2ahRD> Acesso em: 23 maio 2017.

_________. Sense8 na Parada do Orgulho LGBT de São Paulo. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=DXTAH_Nvx28> Acesso em: 23 maio 2017.

_________. Orange Is The New Black - Inês Brasil em Litchfield. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=oJhBh0scBOU> Acesso em: 23 maio 2017.

Publicado
2017-08-29
Como Citar
PASSOS AFFINI, L.; FERMINO DE SOUZA, L. M. Crossover no Universo Marvel: estudo do caso sobre a série luke cage. Revista GEMInIS, v. 8, n. 2, p. 106-130, 29 ago. 2017.