A era dos clipes musicais interativos: a produção de sentido nas práticas interacionais da experiência Just a Reflektor

Palavras-chave: Videoclipe interativo, Semiótica, Interatividade, Regimes de interação e sentido

Resumo

O artigo propôs analisar a produção de sentido nas práticas interacionais de clipes musicais interativos, tratando do universo discursivo midiático como espaço de interação. Como objeto de estudo analisou-se o clipe musical interativo Just A Reflektor da Banda Arcade Fire, produzido em 2014. Como resultados da análise, o clipe interativo analisado apresentou em sua estrutura funcional, rotinas pré-estabelecidas e sem a possibilidade da quebra dessa programação pelo destinatário, demonstrando em seu conteúdo elementos discursivos que produzem efeitos de sentido de interatividade plena.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Sabino Caldas, Universidade Estadual Paulista – UNESP
Doutorando do Curso de Comunicação Midiática da Universidade Estadual Paulista – UNESP e membro do Grupo de Estudos Audiovisuais – GEA, Bauru, SP, Brasil;

Referências

BEIGUELMAN, G. Cinema além da tela. Disponível em: <http://www.desvirtual.com/cinema-do-alem-tela/>. Acesso em: 15 fev. 2013.

BURGUESS, J.; GREEN, J. YouTube e a revolução digital: como o maior fenômeno da cultura participativa está transformando a mídia e a sociedade. São Paulo: Aleph, 2009.

CALDAS, C. H. S. Videoclipe 2.0: interatividade e regimes de interação na era digital. Dissertação de mestrado. UNESP, 2013.

FIORIN, J.L. Estruturas narrativas. In: Ana Claudia de Oliveira (ed.). As interações sensíveis: ensaios de sociossemiótica. São Paulo: Estação das Letras e Cores, 2013, p. 435-452.

HOLZBACH, A.D. Excesso, esquizofrenia, fragmentação e outros contos: a história social de surgimento do videoclipe. In: INTERCOM, 33, 2010, Caxias do Sul. Anais do XXXIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. São Paulo: Intercom/UCS, 2010. p. 01 - 15.

JENKINS, H. Cultura da convergência. Tradução de Suzana Alexandria. São Paulo: Aleph, 2008.

LANDOWSKI, E. Interacciones arriesgadas. Tradução de Desiderio Blanco. Lima: Fondo Editorial, 2009. (Obra original publicada em 2005).

MACHADO, A. A televisão levada a sério. São Paulo: Senac, 2000.

MÉDOLA, A.S.L.D. Da TV analógica para a digital: elementos para a compreensão da práxis enunciativa. In: XV COMPÓS - Encontro Anual da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação. 2006, Bauru-SP. Anais do XV COMPÓS - Encontro Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação. Bauru: PPGCOM-UNESP, 2006.

______. Lógicas de articulação de linguagens no audiovisual. In: Ana Claudia de Oliveira; Lucia Teixeira. (Orgs.). Linguagens na comunicação: desenvolvimentos de semióticas sincréticas. São Paulo: Estação das Letras e Cores, 2009.

______.; CALDAS, C. H. S. Videoclipe em ambiente de convergência midiática: regimes de sentido e interação. Comunicação, mídia e consumo, Ano 10, volume 10, número 29, p. 121-141, 2013.

PORTO, B. Henry Jenkins: 'O jovem é o guardião da cultura'. O globo magazine, Rio de Janeiro, 25 maio 2010. Disponível em: <http://oglobo.globo.com/megazine/mat/2010/05/25/ henry-jenkins-jovem-o-guardiao-da-cultura-916689796.asp>. Acesso em: 24 jul. 2010.

SOARES, T. Sobre os Novos Rumos da Televisão Musical: MTV, You Tube e o "Fim" do Videoclipe. RUA. Revista Universitária do Audiovisual, v. 1, p. 20-31, 2008. Disponível em:<http://www.rua.ufscar.br/site/?p=681>. Acesso em: 15 fev. 2013.

Publicado
2017-08-29
Como Citar
SABINO CALDAS, C. A era dos clipes musicais interativos: a produção de sentido nas práticas interacionais da experiência Just a Reflektor. Revista GEMInIS, v. 8, n. 2, p. 68-82, 29 ago. 2017.