ESTRATÉGIAS E CORRENTES DE FLUXOS EM ESPAÇOS HÍBRIDOS: A WEB E A TV

  • Soraya Maria Ferreira Vieira Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Liliane Maria de Oliveira Silva Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Sabrina Chinelato Universidade Federal de Juiz de Fora
Palavras-chave: TV, web, fluxo de convergência, hibridismo, segunda tela

Resumo

As TVs estão ampliando seus domínios a partir das novas plataformas digitais e buscando alternativas para enfrentar esse momento de convergência de mídias. As emissoras com tradição televisiva passam por uma fase de adaptação ao novo mercado que se abre para audiência e produção para os meios digitais. Por conta disso, os canais GNT e Globo, desenvolveram em seus sites, Gnt e Gshow, ferramentas de participação, convidando o usuário a interagir por meio das redes sociais digitais. Diante disso, buscamos averiguar quais estratégias de interação tais canais desenvolveram diante do fluxo de convergência bilateral que esta associação TV e web promovem hibridizando ainda mais os ambientes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AUMONT, Jacques. A estética do filme. São Paulo: Papirus, 1995.

BOLTER, Jay David; GRUSIN, Richard. Remediation: understanding new media. Cambridge: MIT Press, 2000.

JENKIS, Henry. Convergence Culture, La Cultura de la Convergência de los Médios de Comunicación. – Barcelona/Buenos Aires/México, Paidós -2009

MCLUHAN, Marshall. Os meios de Comunicação como extensões do homem. São Paulo: Colares, 1995.

LEÃO, Lucia. O Labirinto da Hipermídia. Arquitetura e Navegação no Ciberespaço. Iluminuras: São Paulo, 1999.

LEMOS, André. Ciber-Cultura-Remix. In: Imagem (ir) realidade: comunicação e cibermídia. Porto Alegre Sulina,2006.

LEMOS, Renata; SANTAELLA, Lucia. Redes sociais digitais a cognição conectiva do Twitter. São Paulo: Paulus, 2010.

MACHADO, Arlindo. Fim da Televisão? Revista Famecos. Mídia e Tecnologia. Porto Alegre: PUCRS, janeiro/abril2011.

MARTINO, Luís. Teoria das Mídias Digitais: Linguagens, Ambientes, Redes. Petrópolis: Vozes, 2014.

MURRAY, Janet H. Hamlet no Holodeck. São Paulo: Editora da UNESP, 2001.

PALACIOS, Marcos. Ruptura, Continuidade e Potencialização no Jornalismo Online: o Lugar da Memória. In: MACHADO, Elias; PALACIOS, Marcos (Orgs.). Modelos do Jornalismo Digital. Salvador: Editora Calandra, 2003.

PLAZA, Júlio. Tradução Intersemiótica. São Paulo: Perspectiva, 2001.

RUEDA, María de Los Ángeles (Org.). Arte y Medios. Entre La Cultura de Masas y La Cultura De Redes. La Plata:AL Margen.2014.

SANTAELLA, Lúcia. Matrizes de Linguagem e do Pensamento. São Paulo: Iluminuras, 2001.

SANTAELLA, Lucia. Comunicação ubíqua: repercussões na cultura e na educação. São Paulo: Ed. Paulus, 2013

SET. Sociedade Brasileira de Engenharia de Televisão. Você ainda vai ter uma? Disponível

em: < http://www.set.org.br/artigos/ed133/ed133_pag84.asp>. Acesso em: 17/10/2015, ás 19h30.

SCOLARI, Carlos. Hipermediaciones. Elementos para uma Teoría de La Comunicación Digital Interactiva. Barcelona: Gedisa, 2008.

JOHNSON, Steven. Cultura Da Interface.Rio de Janeiro: Sahar, 2001.

Publicado
2016-12-22
Como Citar
MARIA FERREIRA VIEIRA, S.; MARIA DE OLIVEIRA SILVA, L.; CHINELATO, S. ESTRATÉGIAS E CORRENTES DE FLUXOS EM ESPAÇOS HÍBRIDOS: A WEB E A TV. Revista GEMInIS, v. 7, n. 2, p. 26-42, 22 dez. 2016.