Som, fúria, crítica e audiência: aspectos da recepção da série Som & fúria, de Fernando Meirelles

  • Marcelo de Lima UFPB
  • Luiz Antonio Mousinho UFPB
Palavras-chave: Som & fúria, recepção, dialogismo

Resumo

Este artigo procura analisar aspectos da recepção da minissérie Som & fúria, exibida pela Rede Globo de Televisão em 2009. Produzida em conjunto com a O2 Filmes, a minissérie narra a história de uma trupe teatral que adapta obras do dramaturgo inglês William Shakespeare. Ao mesmo tempo em que recebeu críticas extremamente positivas da crítica jornalística, Som & fúria alcançou baixos números de audiência para os padrões da Globo, o que levou a seu cancelamento após apenas uma temporada. Consideramos que as referências à literatura shakespeariana e a presença da linguagem teatral na minissérie podem ter provocado um ruído de comunicação com o público, minimizando, assim, as possibilidades de diálogo e de construção de uma relação afetiva entre o programa e uma audiência mais abrangente. Utilizamos principalmente os conceitos de dialogismo e carnavalização (BAKHTIN, 2010; STAM, 1992) e a abordagem cognitivista aplicada a produtos audiovisuais (BORDWELL, 2007; PUCCI, 2012) na tentativa de compreender essa discrepância entre a recepção do público e da crítica. Procuramos contribuir, assim, para os estudos de recepção de audiovisuais, considerando os diversos atores que compõem o público e seus locus recepcionais, suas particularidades e as influências que determinam a forma através qual eles se relacionam com produtos culturais diversos.

Biografia do Autor

Marcelo de Lima, UFPB
Discente do curso de Jornalismo da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Ex-bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC). Membro do Grupo de Pesquisa Sobre Ficção e Produção de Sentido.
Luiz Antonio Mousinho, UFPB
Professor Associado III do Departamento de Comunicação e da Pós-graduação em Letras da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Desenvolve pesquisa junto ao CNPq (PQ) sobre análise e recepção de ficção audiovisual. Coordena o Grupo de Pesquisa Sobre Ficção e Produção de Sentido.

Referências

ABOS, M. 'Som & fúria', de Fernando Meirelles, traz Shakespeare de volta a seu lugar: o de autor popular. In: O Globo, 24/06/2009. Disponível em <http://oglobo.globo.com/cultura/revista-da-tv/som-furia-de-fernando-meirelles-traz-shakespeare-de-volta-seu-lugar-de-autor-popular-3147462>. Acesso em: 26 fev. 2016.

BAKHTIN, M. Problemas na poética de Dostoiévski. 5ª ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010. Disponível em <https://pt.scribd.com/doc/110785421/Problemas-na-poetica-de-Dostoievski>. Acesso em 25 fev. 2016.

BALOGH, A. M. O discurso ficcional na TV: sedução e sonhos em doses homeopáticas. São Paulo: EdUSP, 2002.

BAMBA, M. Teorias da recepção cinematográfica ou teorias da espectatorialidade fílmica? In: BAMBA, M. A recepção cinematográfica: Recepção e estudos de caso. Salvador: Edufba, 2013, p. 19-66.

BORDWELL, D. Cognition and Comprehension: Viewing and Forgetting in Mildred Pierce. In: BORDWELL, D. Poetics of Cinema. Nova Iorque: Routledge, 2007. Cap. 4. p. 135-150.

CHEVALIER, J. (org) Diccionario de los símbolos. Barcelona: Editoral Herder, 1986.

DUDALSKI, Sirlei Santos. O ensino da dramaturgia shakespeariana no Brasil: realidade e perspectivas. 2007. 291 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Língua Inglesa, Departamento de Letras Modernas da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007. Disponível em: <http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8147/tde-06112007-115505/publico/TESE_SIRLEI_SANTOS_DUDALSKI.pdf>. Acesso em: 25 fev. 2016.

FURQUIM, F. Review: de Slings and Arrows à Som & fúria. In: Veja on-line, 07/08/2009. Disponível em <http://veja.abril.com.br/blog/temporadas/remakes/review-de-slings-arrows-a-som-furia/>. Acesso em 20 fev. 2016.

MELO, W. Som, fúria, ironia e outras catarses. In: Wellington de Melo, 08/07/2009. Disponível em <http://www.wellingtondemelo.com.br/site/2009/07/som-efuria/>. Acesso em: 15 abr. 2016.

PUCCI JR., R. L. Adaptação Televisiva e Esquemas Cognitivos: o caso de Capitu. In: BORGES, G.; PUCCI JR., R. L.; ALEXANDE SOBRINHO, G. Televisão: Formas Audiovisuais de Ficção e Documentário. Campinas, Faro e São Paulo: Socine/Unicamp/Universidade do Algarve – Ciac, 2012. p. 29-43. Disponível em: <http://www.socine.org.br/livro/televisoes.pdf>. Acesso em: 27 fev. 2016.

SILVA, M. V. B. Som, Fúria e Sentido: Shakespeare na ficção seriada televisiva. In: BORGES, G.; PUCCI JR., R. L.; ALEXANDE SOBRINHO, G. Televisão: Formas Audiovisuais de Ficção e Documentário. Campinas, Faro e São Paulo: Socine/Unicamp/Universidade do Algarve – Ciac, 2012. p. 59-70. Disponível em: <http://www.socine.org.br/livro/televisoes.pdf>. Acesso em: 25 fev. 2016.

STAM, B. Bakhtin: da teoria literária à cultura de massa. São Paulo: Ática, 1992.

SHAKESPEARE, W. Hamlet. In: Shakespeare: tragédias, p. 193-324. São Paulo: Abril Cultural, 1981.

_______________. Macbeth. Porto Alegre: L&PM, 2015.

SOM E FÚRIA. Minissérie dirigida por Fernando Meirelles, Gisele Barroco, Toniko Melo, Fabrizi a Pinto, Rodrigo Meirelles. Roteiro de Susan Coyne, Bob Martin, Mark McKinney. Adaptação de Fernando Meirelles. Veiculada pela Rede Globo de Televisão de 07 a 24 de julho de 2009. (DVD). Som Livre, 2009

VASCONCELOS, C. M. A. Signos, signos, signos: o Dante hamletiano no Som & fúria da Tradução Intersemiótica. 2014. 79 f. TCC (Graduação) - Curso de Licenciatura Plena em Letras, Centro de Humanidades, Universidade Estadual da Paraíba, Guarabira, 2014. Disponível em: <http://dspace.bc.uepb.edu.br:8080/xmlui/handle/123456789/3328>. Acesso em: 24 fev. 2016.

VOLLET, Neuza Lopes Ribeiro. Nobreza vs. obscenidades em traduções brasileiras de Hamlet: uma reflexão sobre as relações possíveis entre os tradutores e seu autor. Tradterm, São Paulo, v. 5, n. 2, p.71-96, jul./dez. 1998. Disponível em: <http://www.revistas.usp.br/tradterm/article/viewFile/49558/53633>. Acesso em: 24 fev. 2016.

Publicado
2016-07-06
Como Citar
DE LIMA, M.; MOUSINHO, L. A. Som, fúria, crítica e audiência: aspectos da recepção da série Som & fúria, de Fernando Meirelles. Revista GEMInIS, v. 7, n. 1, p. 273-294, 6 jul. 2016.