Transcinema: a multiplicação de janelas e o hipertexto como dispositivo da interatividade

  • Marília Xavier de Lima UFJF
Palavras-chave: Comunicação, Cinema, Interatividade.

Resumo

Este trabalho procura compreender a interatividade proporcionada na multiplicação e sobreposição de janelas na tela à luz do Transcinema, relacionando tais intertelas à lógica do hipertexto. Desta forma, pesquisou-se a interatividade sem o manuseio das interfaces pelo espectador, uma vez que ela advém da própria tela. Para tal, foram discutidos dois filmes: Timecode, de Mike Figgis (2000), e O Livro de Cabeceira, de Peter Greenaway (1996). Na análise verificou-se a tendência das novas tecnologias em convocar a participação do espectador na obra.

Biografia do Autor

Marília Xavier de Lima, UFJF
Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Faculdade de Comunicação da UFJF, na linha Estética, Redes e Tecnocultura.

Referências

BETTETINI, Gianfranco. Semiótica, computação, gráfica e textualidade. In: PARENTE, André. Imagem-máquina. Rio de Janeiro: 34, 1993. p. 65-71.

CAIRES, Carlos. Da narrativa fílmica interactiva Carrossel e Transparências: dois projectos experimentais. In: PENAFRIA, Manuela; MARTINS, Índia Mara (Org.). Estéticas do digital: cinema e tecnologia. Lisboa: LabCom, 2007. p. 33-48.

CARVALHO, Victa de. O dispositivo imersivo e a Imagem-experiência. Eco-pós, Rio de Janeiro, v.9, n.1, jul. 2006. p. 141-154.

COUCHOT, Edmond. Da representação à simulação. In: PARENTE, André. Imagemmáquina. Rio de Janeiro: 34, 1993. p. 37-48.

DUBOIS, Philippe. Cinema, vídeo e Godard. São Paulo: Cosac & Naify, 2004.

GREENAWAY, Peter. Toward a re-invention of cinema - Cinema Militans Lecture. 28 set. 2003. Disponível em <http://petergreenaway.org.uk/essay3.htm>. Acesso em 28 abr. 2010.

KERCKHOVE, Derrick de. O senso comum, antigo e novo. In: PARENTE, André. Imagemmáquina.

Rio de Janeiro: 34, 1993. p. 56-65.

LEÃO, Lúcia (org). O chip e o caleidoscópio: reflexões sobre as novas mídias. São Paulo: Editora Senac, 2005.

LÉVY, Pierre. As tecnologias da inteligência. São Paulo: 34, 2004. p. 21-74.

MACIEL, Kátia. Transcinemas e a estética da interrupção. In: FATORELLI, Antonio; BRUNO, Fernanda (Org.). Limiares da Imagem. Rio de Janeiro: MAUAD, 2006.

______ (Org.). Transcinemas. Rio de Janeiro: Contra Capa, 2009.

______. Transcinemas: Um, nenhum e cem mil. 2003. Disponível em: <http://www.pos.eco.ufrj.br/docentes/publicacoes%5Ckmaciel1.pdf> Acesso em: 26 abr. 2010.

MANOVICH, Lev [s.d.]. ¿Qué es el cine digital?. Disponível em: <http://www.upv.es/laboluz/revista/pages/numero5/rev-5/manovich.htm> Acesso em: 26 abr. 2010.

_______. The language of new media. Cambridge: The MIT Press, 2001.

MELO, Venise Paschoal de. Interatividade, Virtualidade e imersividade: participação na obra de arte contemporânea. Campo Grande, 2008. Dissertação. Departamento de Letras, Universidade Federal do Mato Grosso do Sul.

MURRAY, Janet H. Hamlet no Holodeck: o futuro da narrativa no ciberespaço. São Paulo: Itaú Cultural/ Unesp, 2003.

METZ, Christian. A significação do cinema. São Paulo: Perspectiva, 1972.

PARENTE, André. Os paradoxos da imagem-máquina. In:_________ (Org.). Imagemmáquina. Rio de Janeiro: Editora 34, 1993. p. 7-35.

______. Cinema e Tecnologia digital. Lumina, Juiz de Fora, v. 2, n. 1, p. 1-17, jun. 1999.

PEIXOTO, Nelson Brissac. Passagens da imagem: pintura, fotografia, cinema, arquitetura. In: PARENTE, André. Imagem-máquina. Rio de Janeiro: 34, 1993. p. 237-252.

VIVEIROS, Paulo. Espaços densos: configurações do cinema digital. In: PENAFRIA, Manuela; MARTINS, Índia Mara (Org.). Estéticas do digital: cinema e tecnologia. Lisboa: LabCom, 2007. p. 33-48.

Como Citar
XAVIER DE LIMA, M. Transcinema: a multiplicação de janelas e o hipertexto como dispositivo da interatividade. Revista GEMInIS, v. 1, n. 1, p. 339-350, 11.
Seção
Abordagens Multiplataformas