Roteiros para dispositivos de mídias móveis: tela, tempo e trânsito como elementos contingentes

  • Carolina Dantas de Figueiredo Universidade Federal de Pernambuco
  • Allison Ronaldo da Silva Mendes Universidade Federal de Pernambuco
Palavras-chave: dispositivos móveis, mobilidade, roteiro, tela, tempo, trânsito

Resumo

A diversidade de formatos de tela implica também em novas formas de produção audiovisual. Taisajustes não são novidade, eles se deram durante a transição do cinema para a TV, por exemplo, oque levou a novas formas de roteiro e edição, desembocando numa nova linguagem. Analogamente,isso acontece com os dispositivos móveis. É necessário que formas de roteirização e de ediçãoespecíficas emerjam considerando as características fundamenais derivadas da mobilidade, a saber,tela, tempo e trânsito. Sendo assim, este artigo visa discutir os roteiros para os dispositivos de mídiamóveis e suas implicações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carolina Dantas de Figueiredo, Universidade Federal de Pernambuco
Jornalista e doutora em comunicação. Professora noDepartamento de Comunicação Social da Universidade Federalde Pernambuco.
Allison Ronaldo da Silva Mendes, Universidade Federal de Pernambuco
Bacharel em Rádio, TV e Internet. Aluno egresso daUniversidade Federal de Pernambuco e ex-bolsista da RádioUniversitária Web (projeto de extensão).

Referências

AUMONT, J. A imagem. 10.ed. Campinas: Papirus, 2005. BEIGUELMAN, Giselle. Link-se: arte, mídia, política, cibercultura. São Paulo: Peirópolis, 2005.

BROCKMEIER Jens. “Narrativa: Problemas e Promessas de um Paradigma Alternativo”.Revista Psicologia, Reflexão e Crítica. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2003.

CASTELLS, M. A sociedade em rede: a era da informação – economia, sociedade e cultura. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

_____________. Communication, Power and Counter-power in the Network society.International Journal of Communication, 2007. COSTA, Mario. O Sublime Tecnológico. São Paulo: Experimento, 1995. DUBOIS, Phillipe. Cinema, vídeo, Godard. Tradução Mateus Araújo Silva. São Paulo: Cosac Naify, 2004.

GALINDO, Fernando Rubio. El audiovisual en la telefonía móvil 3G. Consideraciones formales para una comunicación eficaz. Facultad de Comunicación de La Universidad Pontificia de Salamanca, 2005. GOSCIOLA,V. Roteiro para as novas mídias: do cinema as mídias interativas. São Paulo: SENAC, 2003. JONES, Matt e MARSDEN, Gary. 2006. Mobile interaction design. John Wiley & Sons: Inglaterra.

MACHADO, Arlindo. A Arte do Vídeo. São Paulo: Brasiliense, 1988. _________________. Máquina e imaginário: o desafio das poéticas tecnológicas. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1996. __________________. Arte e Mídia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2007.

MANOVICH, Lev. The Language of New Media. Cambridge: MIT Press, 2001. MCKEE, Robert. Story. Substância, estrutura, estilo e princípios da escrita do roteiro. Curitiba: Arte & Letra. 2006.

SANTAELLA, Lucia. Por que as comunicações e artes estão convergindo? São Paulo: Paulus. 2005.

Publicado
2015-12-11
Como Citar
DANTAS DE FIGUEIREDO, C.; RONALDO DA SILVA MENDES, A. Roteiros para dispositivos de mídias móveis: tela, tempo e trânsito como elementos contingentes. Revista GEMInIS, v. 6, n. 2, p. 165-182, 11 dez. 2015.
Seção
Abordagens Multiplataformas