O trailer, o filme e a serialidade no modelo dos blockbusters do cinema hollywoodiano contemporâneo

  • Márcio Carneiro dos Santos UFMA
Palavras-chave: Trailer, Serialidade, Narrativa.

Resumo

A relação entre trailer e filme, dentro do atual modelo de produção e comercialização da indústria do cinema americano, perpassa o simples binômio “peça de divulgação x produto divulgado”, para criar uma nova lógica de intertextualidades a partir da reconfiguração da narrativa original, em diversos paratextos fílmicos que se adéquam aos muitos canais de comunicação utilizados nas campanhas de lançamento dos grandes filmes hollywoodianos. Nesse cenário, que começa a se consolidar a partir das três últimas décadas do século XX, uma lógica de serialidade é estabelecida entre os diversos elementos produzidos com essa finalidade, que inclui as vezes também, nos casos de grande sucesso de bilheteria, as próprias sequencias dos filmes originais e que, no conjunto, se utilizam de vários recursos característicos das séries ficcionais, tais como a construção do suspense e o uso de ganchos, agora não apenas para garantir a manutenção do interesse do espectador  a espera do próximo episódio, mas sim para fazê-lo acompanhar todo o desenvolvimento do produto filme, desde os seus primeiros momentos de produção até sua comercialização em mercados secundários, como o de games, licenciamento, parques temáticos e outros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Márcio Carneiro dos Santos, UFMA
Mestre em Comunicação pela Universidade Anhembi Morumbi – SP, professor assistente do curso de Comunicação Social da UFMA na área de Jornalismo em Redes Digitais.

Referências

AUMONT, Jacques. et al. A estética do filme. Tradução de Marianna Appenzeller. Campinas: Papirus, 2005.

. Dicionário teórico e crítico de cinema. 3. ed. Tradução de Eloísa Araújo Ribeiro.São Paulo: Papirus, 2007.

BERRY FLINT, Sarah. In: MILLER, Toby; STAN, Robert. Film theory. Malden: Blackwell Publishing, 1999.

BORDWELL, David. Narration in the fiction film. Madison: University of Wisconsin Press, 1985.

. O cinema clássico hollywoodino: normas e princípios narrativos. In: RAMOS, Fernão Pessoa (Org.). Teoria contemporânea do cinema. v. 2. São Paulo: Senac, 2005.

ECO, Umberto. Sobre os espelhos e outros ensaios. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1989.

HEDIGER, V. The Narative Turn in Film Advertising: on the physiognomy of contemporary trailers. Apresentado em: You Can Have It:Kinorituale,Vienna, 1999.

KERNAN, L. Coming Attractions – reading american movie trailers. Austin, Texas: University of Texas Press, 2004.

MACEY, D. Dictionary of Critical Theory. Londres: Penguin Books, 2000.

MASCARELLO, F. Cinema hollywoodiano contemporâneo. In: MASCARELLO, F. (Org.). História do Cinema Mundial. Campinas: Papirus, 2006.

MASCARELLO, F. (Org.). História do Cinema Mundial. Campinas: Papirus, 2006.

ROSÁRIO, Nísia Martins do. Formatos e gêneros em corpos eletrônicos. In: DUARTE,Elizabeth Bastos; CASTRO, Maria L. Dias de (Org.). Comunicação audiovisual: gênero e formatos. Porto Alegre: Sulina, 2007.

SANTOS, Cláudia Melissa Neves. Trailer : Cinema e publicidade no mesmo rolo. Um estudo sobre o trailer e o movie marketing, ilustrado pela campanha de lançamento do filme Cidade de Deus. Dissertação de mestrado do Instituto de Artes e Comunicação Social. UFF, 2004.

Como Citar
CARNEIRO DOS SANTOS, M. O trailer, o filme e a serialidade no modelo dos blockbusters do cinema hollywoodiano contemporâneo. Revista GEMInIS, v. 1, n. 1, p. 299-316, 11.