Inimigos mais perto ainda: Globo produz conteúdo para hater e troll

  • Ana Heloiza Vita Pessotto UNESP
  • Glauco Madeira de Toledo IMESB-VC
Palavras-chave: Troll, Hater, Anti-fã, Fã, Ficção Seriada Televisiva

Resumo

Gray (2003) cunhou o termo anti-fã e Theodoropoulou (2007) aprofundou seus estudos sobre esseconceito; haters e trolls são espectadores que falam mal dos produtos mas não são anti-fãs, como diriaGray. Para criar e entender sátiras sobre ficção é preciso conhecê-la. A Globo, dona dos produtossatirizados, notou a existência do nicho, atingido por outras empresas, produzindo esse conteúdo noportal Gshow, indício de que esses grupos são interessantes comercialmente para os produtores deconteúdo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Heloiza Vita Pessotto, UNESP
Mestranda em Comunicação Midiática e graduada em Rádioe TV pela UNESP. Membro do GEMInIS (Grupo de EstudosSobre Mídias Interativas em Imagem e Som) e do OBITELUFSCar(Observatório Ibero-americano de Ficção Televisiva,núcleo UFSCar).
Glauco Madeira de Toledo, IMESB-VC
Mestre e Bacharel em Imagem e Som pela UFSCar. Professor deComunicação Social do IMESB-VC. Professor de Histórias emQuadrinhos da Especialização em Linguagens Midiáticas e deAudiovisual do Barão de Mauá. Professor de Cinema e de RTVIna UNIMEP. Membro do GrAAu e do GEA da FAAC-UNESPe do GEMInIS do PPGIS-UFSCar. Membro do OBITELUFSCar(Observatório Ibero-americano de Ficção Televisiva,núcleo UFSCar).

Referências

AMARAL, A.; NATAL, G.; VIANA, L. Netnografia como aporte metodológico da pesquisa em comunicação digital. In Cadernos da Escola de Comunicação, v.6, n.1, p. 34-40, 2008.

AMARAL, A., RECUERO, R., MONTARDO, S. Blogs: mapeando um objeto. In: Anais do GT Digital do VI Congresso Nacional de História da Mídia, Niterói, UFF, Rio de Janeiro, 2008.

BALOGH, Anna Maria. Sobre o conceito de ficção na TV. In: XXV Congresso brasileiro de ciências da comunicação. Salvador. 2002.

GRAY, Jonathan. New Audiences, New Textualities Anti-Fans and Non-Fans. International journal of cultural studies, v. 6, n. 1, p. 64-81, 2003.

GENETTE, Gérard. Paratexts: Thresholds of interpretation. Cambridge University Press, 1997.

JENKINS, Henry. Cultura da convergência. Aleph, 2008.

LEVY, Pierre. A inteligência coletiva: por uma antropologia do ciberespaço. São Paulo: Edições Loyola: 1999.

______. Cibercultura. São Paulo: Editora, v. 34, 1999.

PEARSALL, Judy; HANKS, Patrick (Ed.). The new Oxford dictionary of English. Clarendon Press, 1998.

RITZER, George; JURGENSON, Nathan. Production, Consumption, Prosumption The nature of capitalism in the age of the digital ‘prosumer’. Journal of consumer culture, v. 10, n. 1, p. 13-36, 2010. Disponível em: http://scholar.google.com.br/scholar?q=Production%2C+Consumption%2C+Prosumption&btnG=&hl=pt-BR&as_sdt=0%2C5. Acesso em: 30 de Ago. 2014.

THEODOROPOULOU, Vivi. The anti-fan within the fan: Awe and envy in sport fandom. Fandom: Identities and communities in a mediated world, p. 316-27, 2007.

TOLEDO, G. M. Aspectos Canônicos da Narrativa Transmidiática em LOST. 2012. 114 f. Dissertação (Mestrado em Imagem e Som) – Centro de Educação e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2012.

TOLEDO, G. M.; PESSOTTO, A. H. V. Espalhar e Perfurar: e nós com isso? In: Anais do Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação, 2014.

Publicado
2014-12-10
Como Citar
PESSOTTO, A. H. V.; MADEIRA DE TOLEDO, G. Inimigos mais perto ainda: Globo produz conteúdo para hater e troll. Revista GEMInIS, v. 5, n. 3, p. 79-95, 10 dez. 2014.