Consumo no ciberespaço: a explosão de aplicativos de dispositivos móveis que ajudam a controlar a vida na palma da mão

  • Arlete Eni Granero Universidade Federal Fluminense
  • Tatiane Cione Couto Universidade Federal Fluminense
Palavras-chave: consumo, smartfones, comunidatização, gerações, marketing

Resumo

A valorização da troca de informações está na espontaneidade e no tempo real. As pessoas criam textos, vídeos, músicas e divulgam através de seus telefones celulares, pela internet etc. 13% dos usuários de smarthphones no Brasil realizaram compras por celular no Brasil, de acordo com Ibope Media (2013). Entre os itens mais comprados estão os jogos e aplicativos (37%). Este trabalho tem como objetivo analisar a mudança das ferramentas que viabilizam o consumo via mobile e como as ‘coisas’ estão ganhando movimento pelos dispositivos eletrônicos. Neste contexto, as coisas na pós web tomam vida ao serem integradas ao cotidiano das pessoas.  A metodologia utilizada apresenta a revisão bibliográfica traçando um panorama que aborda os conceitos de consumo, a evolução do marketing, o perfil psicográfico das gerações, geração digital (DOVER; MOFFIT, 2012) e portabilidade cultural (CANCLINI, 2008).  O corpus do estudo provoca uma reflexão acerca da aplicabilidade dos conceitos de rede de dispositivos inteligentes presentes nos smartphones, aqui exemplificados pelos aplicativos Nike Running, AliveCor e Tinder e os benefícios dos mesmos entregues à sociedade. Os resultados apresentam uma indústria de “coisas” que atendem especificamente um público jovem que busca a experiência da participação e do engajamento na internet. Concluímos que diante das inovações criadas a cada mês, percebe-se uma indústria de “coisas” que possam atender especificamente um público jovem que busca a experiência da participação e do engajamento na internet. Para atender a “geração digital” (DOVER; MOFFIT, 2012), são necessários cada vez mais dispositivos que possam oferecer diversas mídias. Neste sentido, percebe-se um consumo tecnológico, onde máquinas e programas configuram-se como mercadorias (BRETA, 2007), mas que também pessoas tornem-se produtos, ao propagar suas subjetividades na internet.

Biografia do Autor

Arlete Eni Granero, Universidade Federal Fluminense
Doutora em Comunicação (ECA/USP) Doutora em Administração (UEX/Badajós/España). Professora do Departamento de Comunicação da Graduação e do Programa de Pós-graduação Mídia e Cotidiano da Universidade Federal Fluminense.
Tatiane Cione Couto, Universidade Federal Fluminense
Mestranda em Mídia e Cotidiano pela Universidade Federal Fluminense. Pós-graduada em Marketing (2008) e Jornalismo Digital (2003). Professora da Faculdade Pinheiro Guimarães.

Referências

ASSUNÇÃO, Letícia de Sá Antunes. O perfil de consumo da geração Y. Monografia Pós-graduação. Faculdade Cândido Mendes. Disponível em:< http://www.avm.edu.br/docpdf/monografias_publicadas/K219905.pdf> Acesso em 2/8/2013.

BRETA, Beatriz. A expansão do eu na vida cotidiana: a construção da subjetividade em territórios telemáticos. In: Comunicação e Sociabilidade. Caiafa, Janice. Ellajji, Mohammed. Rio de Janeiro: Maud X, 2007.

BUSINESSINSIDER. Acessado em 03/11/2013. Dísponível em http://www.businessinsider.com/growth-in-the-internet-of-things-2013-10#ixzz2jcc6NcMp

CANAL TECH – Disponível em http://canaltech.com.br/noticia/mercado/Ranking-conheca-os-aplicativos-mais-baixados-do-mundo/#ixzz2jRjaNkny ). Acessado em 01/11/2013.

CANCLINI, Néstor Garcia. Leitores, espectadores e internautas. São Paulo: Iluminuras, 2008.

________________. Culturas híbridas: estratégias para entrar e sair da modernidade. São Paulo: EDUSP, 2003

________________. Consumidores e cidadãos. Rio de Janeiro: UFRJ, 2001.

DIAS, Renata Rampin de Freitas. 31/1/2013. A internet das coisas: um futuro que já chegou. Disponível em:< http://brasil.rfidjournal.com/artigos/vision?10372> Acesso em 1/11/2013.

DOVER, Mike; MOFFIT, Sean. WikiBrands: como reinventar sua empresa em um mercado orientado para os clientes. Porto Alegre: Bookman, 2012.

ESTADÃO – Disponível em http://blogs.estadao.com.br/link/celular-e-ferramenta-de-saude-e-bem-estar/. Acessado em 01/11/2013.

IBOPE – Disponível em http://www.ibope.com.br/pt-br/noticias/Paginas/60-dos-usuarios-consideram-tablets-e-smartphones-indispensaveis.aspx. Acessado em 02/11/2013.

IBOPE MANY TO MANY . Disponível em < http://www.ibope.com/pt-br/conhecimento/Infograficos/Paginas/Many-to-Many-Um-estudo-do-IBOPE-Media-sobre-o-comportamento-de-fas-e-seguidores-nas-redes-sociais.aspx> Acesso em: 20/6/2013.

IBOPE MEDIA. Disponível em http://www.ibope.com.br/pt-br/noticias/Paginas/Jogos-e-aplicativos-sao-os-itens-mais-comprados-via-smartphone.aspx. Acessado em 1/11/2013

INFOABRIL. Disponível em: <http://info.abril.com.br/noticias/internet/fotonoticias/os-10-aplicativos-mais-utilizados-no-mundo.shtml> Acessado em 26/10/2013.

INFOABRIL. Disponível em http://info.abril.com.br/noticias/downloads/fotonoticias/os-10-apps-mais-baixados-da-semana-31.shtml. Acessado em 01/11/2013.

INFODICAS. Editora Abril, Edição 117, Setembro 2013.

KOTLER, Philip. Gestão de marketing: análise, planejamento e controle. Prentice-Hall, 1991.

KOTLER, Philip. Marketing 3.0: as forças que estão definindo o novo marketing centrado no ser humano. São Paulo: Elsevier, 2010.

LAMBIN, Jean-Jacques. Marketing estratégico. Lisboa: McGraw-Hill, 2000.

OIKAWA, Erika. Dinâmicas relacionadas contemporâneas: visibilidade, performances e interações nas redes sócias da Internet. IN: PRIMO, Alex. Interações em Rede. Porto Alegre: Sulina 2013.

PRIMO, Alex. Interações em rede. Porto Alegre: Sulina, 2013.

SILVERSTONE, Roger. Por que estudar a mídia? São Paulo: Loyola, 2002.

SLATER, Don. Cultura de consumo e modernidade. São Paulo: NBL, 2001.

VASCONCELOS, Nathália Cantanhêde de Andrade Lima. O fim da era interruptiva: como criar real valor no relacionamento entre marcas e consumidores. 2009, 111f. Universidade Católica de Pernambuco, Recife, 2009.

TERRA. Disponível em http://saude.terra.com.br/novo-aplicativo-de-celular-pode-monitorar-coracao,cfe0ed5f7cbda310VgnVCM4000009bcceb0aRCRD.html. Acessado em 01/11/2013.

VEJA. Disponível em http://veja.abril.com.br/noticia/vida-digital/tinder-em-busca-do-aplicativo-de-paquera-perfeito. Acessado em 02/11/2013

WILLIAMS, K.; PAGE, R. Marketing to the generations. Journal of Behavioral Studies in Business, Jacksonville, vol. 3, abr. 2011.

Publicado
2013-12-15
Como Citar
ENI GRANERO, A.; CIONE COUTO, T. Consumo no ciberespaço: a explosão de aplicativos de dispositivos móveis que ajudam a controlar a vida na palma da mão. Revista GEMInIS, v. 4, n. 2, p. 89-105, 15 dez. 2013.