Imagem-vestígio: do relance à resistência

  • Siomara Faria Universidade Federal de Minas Gerais
Palavras-chave: Cinema, Arquivo, Montagem, Vestígio

Resumo

O artigo discute a presença das imagens de arquivo no cinema de Harun Farocki, realizador alemão cujo trabalho problematiza, em linhas gerais, as formas de exercício do poder, sejam aquelas que emergem dos conflitos geopolíticos, sejam aquelas que se disseminam por meio das mais diversas práticas sociais (formas de controle e vigilância, tecnologias de produção e circulação de imagens, estratégias do consumo, da informação e da publicidade). A partir do filme Imagens do mundo e inscrições da guerra (Harun Farocki, 1988), buscamos refletir sobre a relação entre as imagens de arquivo e os processos históricos acionados por esses registros, observando como Farocki monta as imagens em filmes que evocam o passado em sua própria materialidade, isto é, em seus vestígios.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Siomara Faria, Universidade Federal de Minas Gerais
Mestranda em Comunicação Social pela Univerdade Federal de Minas Gerais. Possui especialização em Imagens e Culturas Midiáticas e graduação em Comunicação Social pela Universidade Federal de Minas Gerais. Tem experiência na área de Comunicação, com ênfase em produção cultural e editorial.

Referências

AGAMBEN, Giorgio. Profanações. São Paulo: Boitempo, 2007.

AGAMBEN, Giorgio. Notas sobre o gesto. In: Arte filosofia / Instituto de Filosofia, Artes e Cultura / Universidade Federal de Ouro Preto/IFAC, n.4, (jan.2008) - Ouro Preto: IFAC, 2008.

AGAMBEN, Giorgio. Infância e História: destruição da experiência e origem da história. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2005.

AGAMBEN, Giorgio. Le cinéma de Guy Debord. In: Hoëbeke, Image et mémoire, 1998, pp. 65-76. Disponível em <http://intermidias.blogspot.com/2007/07/o-cinema-de-guy-debord-de-giorgio.html>. Acesso 11 de maio de 2012.

ALTER, Nora M. The Political Im/perceptible in the Essay Film: Farocki’s “Imagens of the World and the Inscription of War”. New German Critique, No. 68, Special Issue on Literature. 1996. P. 165-192.

AUMONT, Jacques. A estética do filme. Campinas, SP: Papirus, 1995.

BARBERO, Jesús Martín-Barbero; REY, German. Os exercícios do ver. São Paulo: SENAC, 2001.

BAUDRILLARD, Jean. Televisão/Revolução: O Caso Romênia. In: PARENTE, André (Org.). Imagem Máquina – A era das tecnologias do virtual. São Paulo: Editora 34, 2004.

BENJAMIN, Walter. Magia e Técnica, Arte e Política. São Paulo: Brasiliense, 2004.

BENJAMIN, Walter. Passagens. São Paulo: Imprensa oficial, 2000.

BLUMLINGER, Christa. Harun Farocki: estratégias críticas. In: Harun Farocki: por uma politização do olhar. São Paulo: Cinemateca Brasileira, 2010.

BRASIL, André. O ensaio, pensamento “ao vivo”. In: FURTADO, Beatriz (Org). Imagem contemporânea: cinema, tv, documentário, fotografia, videoarte, games... São Paulo: Hedra, 2009.

CERTEAU, Michael de. A invenção do cotidiano 1. Artes de fazer. Petrópoles, Rio de Janeiro: Vozes, 1994.

COMOLLI, Jean-Louis. Ver e Poder – A inocência perdida: cinema, televisão, ficção, documentário. Belo horizonte: Editora UFMG, 2008.

DEBORD, Guy. A Sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.

DELEUZE, Gilles. A Imagem-tempo. São Paulo: Brasiliense, 2007.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Sobrevivência dos Vaga-lumes. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2011.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Remontages Du temps subi. Paris: Editions de Minuit, “Paradoxe”, 2010.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Images in Spite of All – Four Photographs from Auschwitz. Translated by Shane B. Lillis. Chicago e London: The University of Chicago Press, 2008.

ELSAESSER, Thomas. Harun Farocki – Working on the sight-lines. Edited By Thomas Elsaesser. Amsterdam: Amsterdam University Press, 2004.

ELSAESSER, Thomas. Harun Farocki: Cineasta, Artista, Teórico e Mídia. In: Harun Farocki: por uma politização do olhar. São Paulo: Cinemateca Brasileira, 2010.

ENTLER, Ronaldo. Memórias fixadas, sentidos itinerantes: os arquivos abertos de Chris Marker. In: Revista Facon n.19. S. Paulo: Faculdade de Comunicação da FAAP, 1o sem./2008.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir – História da violência nas prisões. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.

GAGNEBIN, Jeanne Marie. Lembrar, escrever, esquecer. São Paulo: Editora 34, 2006.

GAGNEBIN, Jeanne Marie. O rastro e a cicatriz: metáforas da memória. In: Pro-Posições – Vol. 13, N. 3 (39). Set/dez 2002.

GUIMARÃES, C. G. . Entre o vestígio e o verossímil: a ética do olhar em duas modalidades da imagem documental. In: Maria teresa Dalmasso; Fernando Andacht; Norma Fatala. (Org.). Signis: Tiempo, espacio y identidades. Buenos Aires: Editorial la Crujía, 2010, v. 15, p. 23-31.

KONDER, Leandro. O que é dialética. 25ª edição. Editora brasiliense, 1981.

LINDEPERG, Sylvie. Imagens de arquivos: imbricamento de olhares. In: MAIA, Carla et al (Orgs.). Catálogo Forumdoc.BH. 2010, p. 318 – 345.

LINS, Consuelo; REZENDE, Luiz Augusto; FRANÇA, Andréa. A noção de documento e a apropriação de imagens de arquivo no documentário ensaístico contemporâneo. In: Revista Galáxia n. 21. São Paulo, jun. 2011.

LINS, Consuelo. Dear Doc: o documentário entre a carta e o ensaio fílmico. In: Devires – Revista de Cinema e Humanidades. Belo Horizonte: UFMG, 2006.

LINS, Consuelo. A voz, o ensaio, o outro. In: FURTADO, Beatriz (Org). Imagem contemporânea: cinema, tv, documentário, fotografia, videoarte, games... São Paulo: Hedra, 2009.

LISSOVSKY, Mauricio. A fotografia documental no limiar da experiência moderna. Artigo apresentado no GT Fotografia, Cinema e Vídeo, XIV Compôs, UFF, Niterói, 2005.

LISSOVSKY, Maurício. A memória e as condições poéticas do acontecimento. In: GONDAR, Jô; DODEBEI, Vera. O que é memória social? Contracapa: Rio de Janeiro, 2005.

LISSOVSKY, Mauricio. Quatro + uma dimensões do arquivo. In: MATTAR, Eliana. (Org.). Acesso à informação e política de arquivos. Rio de Janeiro, 2004, p. 47-63.

LOWY, Michael. Walter Benjamin: aviso de incêndio – Uma leitura das teses “Sobre o conceito de história”. São Paulo: Boitempo, 2005.

MACHADO, Arlindo. O filme-ensaio. Disponível em: <http://www.intermidias.com/txt/ed56/Cinema_O%20filme-ensaio_Arlindo%20Machado2.pdf > Acesso 21 de maio de 2012.

MOURAO, Maria Dora G.; BORGES, Cristian; MOURAO, Patrícia (Org.). Harun Farocki: por uma politização do olhar. São Paulo: Cinemateca Brasileira, 2010.

RANCIERE, Jacques. A partilha do sensível. São Paulo: Editora 34, 2005.

SEDLMAYER, Sabrina. Sobre os restos – Infância berlinense por volta de 1900. Cadernos Benjaminianos, n. 4, Belo Horizonte, ago-dez 2011, p.43-51

Publicado
2013-08-11
Como Citar
FARIA, S. Imagem-vestígio: do relance à resistência. Revista GEMInIS, v. 4, n. 1, p. 219-243, 11 ago. 2013.
Seção
Abordagens Multiplataformas