A Linguagem Motion Graphics nos Videoclipes Brasileiros

  • Herom Vargas Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS)
  • Luciano de Souza Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS)
Palavras-chave: motion graphics, videoclipe, MTV, tecnologia digital

Resumo

Com o desenvolvimento das tecnologias digitais de edição, animação e pós-produção, a linguagem motion graphics se configurou como ferramenta criativa nas relações entre som e imagem. Este artigo tem como objetivo identificar e analisar aspectos inovadores da utilização da linguagem motion graphics nos videoclipes de artistas brasileiros, no período de 1990 a 2010. Por meio de categorias de avaliação relacionadas 1) aos softwares de composição visual, 2) à evolução da linguagem do clipe no período e 3) às relações entre música, vídeo e gráficos utilizados, quatro estágios de aplicação criativa dos recursos dessa linguagem nos videoclipes brasileiros foram estabelecidos.

Biografia do Autor

Herom Vargas, Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS)
Doutor em comunicação e semiótica, professor do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS) e autor do livro Hibridismos musicais de Chico Science & Nação Zumbi (Ateliê, 2007).
Luciano de Souza, Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS)
Graduado em Rádio e Televisão, Mestre em comunicação pela Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS) e docente do curso de RTV da mesma universidade.

Referências

AUMONT, Jacques. A imagem. Campinas: Papirus, 1993.

BARBOSA JR., Alberto Lucena. Arte da animação: técnica e estética através da história. São Paulo: Senac, 2002.

BEHNEN, Severin Hilar. The construction of motion graphic scores. 2008. 208 f. Tese (Doutorado em Filosofia da Música) – University Of California, Los Angeles, 2008.

BENTES, Ivana. Vídeo e cinema: rupturas, reações e hibridismo. In. MACHADO, Arlindo (org.). Made in Brasil: três décadas do vídeo brasileiro. São Paulo: Iluminuras/ Itaú Cultural, 2007, p. 111-128.

BLOCK, Bruce A. The visual story: seeing the structure of film, TV and new media. Burlington: Focal Press, 2001.

BRYAN, Guilherme. Brazucas: análise do videoclipe Flores do Titãs. Disponível em: <http://clipestesia.com.br/12/brazucas-guilherme-bryan-analisa-ss-premiadas-flores-um-classico-dos-titas-conhece/>. Acesso em: 8 jan. 2012.

BRYAN, Guilherme. Videoclipe brasileiro – história, características e internacionalização. 2005. 137 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação) – Programa de Pós-Graduação em Comunicação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2005.

CARRASCO, Ney. Sygkhronos a formação da poética musical do cinema. São Paulo: Via Lettera/ Fapesp, 2003.

CARVALHO, Claudiane de Oliveira. Narratividade e videoclipe: interação entre música e imagem nas três versões audiovisuais da canção “One”, do U2. 2006. 175 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2006.

CHION, Michel. Audio-vision: sound on screen. New York: Columbia University Press, 1994.

COELHO, Lilian Reichert. As relações entre canção, imagem e narrativa nos videoclipes. In: Anais do XXVI Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. INTERCOM, 26, 2003, Belo Horizonte. PUC- MG, 2003.

ESCOREL, Ana Luiza. O efeito multiplicador do design. 3. ed. São Paulo: Senac, 2004.

FLUSSER, Vilém. The shape of things: a philosophy of design. Londres: Reaktion Books, 1999.

GALLAGHER, Rebecca; PALDY, Andrea Moore. Exploring motion graphics: the art and techniques of creating imagery for film & new media. Clifton Park: Thomson Delmar Learning, 2007.

GOODWIN, Andrew. Dancing in the distraction factory: music television and popular culture. Minnesota: University of Minnesota Press, 1992.

JANOTTI JR., Jeder; SOARES, Thiago. O videoclipe como extensão da canção: apontamentos para análise. Galáxia, São Paulo, v. 8, n. 15, p. 91-108, jun. 2008.

KRASNER, Jon. Motion graphic design & fine art animation: principles and practice. Burlington: Elsevier / Focal Press, 2008.

KRASNER, Jon. Motion graphic design: applied history and aesthetics. Burlington: Elsevier / Focal Press, 2009.

LEGUIZAMÓN, Juan Anselmo. Exploraciones Musicovisuales. Cuadernos. Facultad de Humanidades y Ciencias Sociales, Universidad Nacional de Jujuy, San Salvador de Jujuy, n. 17, p. 251-269, 2001.

LOIOLA, Thompson. Revista da MTV. Ano 1, nº 5. São

Paulo: Abril, 2001.

LUSVARGHI, Luiza Cristina. A MTV no Brasil: a padronização da cultura na mídia eletrônica mundial. 2002. 128 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação) – Programa de Pós-Graduação em Comunicação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2002.

MACHADO, Arlindo. A televisão levada a sério. 3. ed. São Paulo: Senac, 2003.

MACHADO, Arlindo (org.). Made in Brasil: três décadas do vídeo brasileiro. São Paulo: Iluminuras; Itaú Cultural, 2007.

MACHADO, Arlindo. Máquina e imaginário. 3. ed. São Paulo: Edusp, 2001.

MANOVICH, Lev. After Effects, or velvet revolution: part I. 2006. Disponível em: <http://manovich.net/articles/>. Acesso em: 15 nov. 2010.

MANOVICH, Lev. Understanding hybrid media. 2007. Disponível em: <http://manovich.net/articles/>. Acesso em: 05 nov. 2010.

MEGGS, Philip B.; PURVIS, Alston W. Megg’s history of graphic design. 4. ed. Hoboken, New Jersey: John Wiley & Sons, 2006.

MOURA, Mônica. Design de hipermídia: relações entre cultura, linguagem, transdisciplinaridade e informação. In: Anais do 3º Congresso internacional de Design da Informação. Recife, 2003.

NERCOLINI, Marildo José; HOLZBACH, Ariane Diniz. Videoclipe em tempos de reconfigurações. Famecos, Porto Alegre, n. 39, p. 50-56, ago. 2009.

SANTAELLA, Lúcia. As linguagens como antídotos ao midiacentrismo. Matrizes. nº 1, p. 75-97, out. 2007.

SEDEÑO, Ana María. La relácion musicovisual en el videoclip: Propuestas metodológicas y tipología. In: AGUILERA, Miguel de; ADELL, Joan E.; SEDEÑO, Ana Maria (Comp.). Comunicación y música I: Lenguaje y medios. Barcelona: Uocpress, 2008, p. 121-140.

SOARES, Thiago. Videoclipe, o elogio da desarmonia: Hibridismo, transtemporalidade e neobarroco em espaços de negociação. In: Anais do XXVII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. INTERCOM, 27, 2004. Porto Alegre. PUC-RS. 2004. CD-ROM.

VARGAS, Herom; GOULART, Elias. Tecnologia, comunicação e produção cultural: o exemplo da música popular. In: CAPRINO, Monica Pegurer. Comunicação e inovação: reflexões contemporâneas. São Paulo: Paulus, 2008, p. 161-199.

VELHO, João. Motion graphics: linguagem e tecnologia - anotações para uma metodologia de análise. 2008. 193 f. Dissertação (Mestrado em Design) – Curso de Pós-graduação em Design, Escola Superior de Desenho Industrial, Universidade Estadual do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2008.

WICKE, Peter. Rock music: culture, aesthetics and sociology. 3. ed. New York: Cambridge University, 1995.

Publicado
2013-08-11
Como Citar
VARGAS, H.; DE SOUZA, L. A Linguagem Motion Graphics nos Videoclipes Brasileiros. Revista GEMInIS, v. 4, n. 1, p. 176-197, 11 ago. 2013.
Seção
Abordagens Multiplataformas