Quando a TV Vai Além da Sala de Estar: por uma análise cultural dos usos de novos dispositivos tecnológicos

  • Carlos Eduardo Marquioni Universidade Tuiuti do Paraná (UTP)
Palavras-chave: Determinismo tecnológico, Televisão conectada, Cultura, Pós-modernidade

Resumo

Em um momento quando são frequentemente disponibilizadas atualizações das tecnologias da informação e comunicação, há risco de ser atribuída aos dispositivos tecnológicos per se a responsabilidade por transformações sociais: trata-se de simplificação que caracteriza determinismo tecnológico. O artigo apresenta a noção de cultura como alternativa para minimizar esse risco, utilizando uma propaganda de televisão conectada veiculada na TV brasileira como objeto empírico para exemplificar e analisar dois contextos em que novos dispositivos tecnológicos são apresentados como responsáveis por determinar mudanças no comportamento social (tanto afastamento quanto aproximação pessoal).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Eduardo Marquioni, Universidade Tuiuti do Paraná (UTP)
Professor do programa de pós-graduação em Comunicação e Linguagens da Universidade Tuiuti do Paraná (UTP). Doutor (2012) e Mestre (2008) em Comunicação e Linguagens pela mesma instituição. É ainda membro do grupo de pesquisa Imagens, sentidos e regimes de interação/CNPQ da UTP.

Referências

BAUMAN, Zygmunt. O mal-estar da pós-modernidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1998.

BAUMAN, Zygmunt. Amor líquido: sobre a fragilidade dos laços humanos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2003.

HAVELOCK, Erick A. A revolução da escrita na Grécia e suas consequências culturais. São Paulo: Editora UNESP/Paz e Terra, [1982] 1994.

JAMESON, Fredric. O pós-modernismo e a sociedade de consumo. In: KAPLAN, E. Ann (org.). O mal-estar no pós-modernismo. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1993.

JENKINS, Henry. Cultura da Convergência. São Paulo: Aleph, 2008.

MARQUIONI, Carlos Eduardo. TV digital interativa brasileira: redefinições culturais e inter-ações midiáticas em tempos de migração tecnológica. 2012. 282f. Tese (Doutorado em Comunicação e Linguagens) – Programa de Pós-graduação em Comunicação e Linguagens, Universidade Tuiuti do Paraná, Curitiba, 2012.

MOTOROLA. 34% dos brasileiros assistem TV móvel, estima Motorola Mobility. Disponível em: <http://www.telaviva.com.br/13/02/2012/34-dos-brasileiros-assistem-tv-movel-estima-motorola-mobility/tl/262418/news.aspx>. Acesso em: 07 jul. 2012.

ONG, Walter. Oralidade e cultura escrita. Campinas: Papirus, [1982] 1998.

SMARTVIERA. [re]úna a família novamente. Disponível em: <http://www.youtube.com/watch?v=weAAiP7Gw5I>. Acesso em: 06 jan. 2013.

VILCHES, Lorenzo. A migração digital. São Paulo/Rio de Janeiro: Edições Loyola/Editora PUC Rio, 2003.

WILLIAMS, Raymond. Drama from Ibsen to Brecht. Londres: Chatto & Windus, [1952, 1968] 1971.

WILLIAMS, Raymond. Towards 2000. Londres: The Hogarth Press, 1983.

WILLIAMS, Raymond. Culture is ordinary [1958]. In: Resources of Hope: Culture, Democracy, Socialism. p. 3-18. Londres: Verso, 1989.

WILLIAMS, Raymond. The long revolution. Peterborough: Broadview Press Ltd., [1961] 2001.

WILLIAMS, Raymond. Television: Technology and Cultural Form. Padstow: Routledge Classics, [1974] 2005.

WILLIAMS, Raymond. Palavras-chave: um vocabulário de cultura e sociedade. São Paulo: Boitempo Editorial, [1976] 2007.

Publicado
2013-08-11
Como Citar
EDUARDO MARQUIONI, C. Quando a TV Vai Além da Sala de Estar: por uma análise cultural dos usos de novos dispositivos tecnológicos. Revista GEMInIS, v. 4, n. 1, p. 6-19, 11 ago. 2013.
Seção
Dossiê